sábado, 7 de janeiro de 2012

Dinheiro, dinheiro, dinheiro, dinheiro e dinheiro

Eu chorei. Chorei por culpa minha. Pois minha curiosidade às vezes me mata. Eu gostaria de resistir, mas confesso publicamente um pecado: muitas vezes sou fraco no domínio próprio. Por isso, não resisti à minha lógica de fazer o óbvio e ignorar completamente um programa de TV gospel que prega a Teologia da Prosperidade (que tem origem na satânica Nova Era, como você pode descobrir no post E se a Teologia da Prosperidade se convertesse ao Espiritismo?) e o assisti pela web. E chorei de tristeza vendo o programa. Pois eu amo o Espírito Santo e amo a Santa Igreja de Jesus.

E ver tanta conversa sobre dinheiro, finanças e “semear dinheiro” usando o Nome que está acima de todo nome dAquele que é Santo, Santo e Santo, daquele que é Puríssimo e cujo foco é o destino eterno das almas no mundo espiritual pelos séculos dos séculos foi enojante, entristecedor e deprimente. E o que eu ouvi ali me deu vontade de vomitar. Desculpem o linguajar. Mas foi literalmente a reação do meu organismo.

Durante uma hora inteira não se falou absolutamente nada de vida eterna, de arrependimento de pecados, de discipulado, de crescimento espiritual, de regeneração, de justificação, de ser sal da terra e luz do mundo, da Cruz de Cristo, da ressurreição do Senhor, da glória de Deus, nada, nada, nada edificante. Só o que eu vi foi um pastor americano convidado pedir dinheiro “para a obra do Evangelho”. Em português claro, isso significa dar o dinheiro para a organização do dono daquele programa, o que ele chamou de “a causa de Cristo”. Em troca, o americano garantiu que os que isso fizessem teriam 12 meses de vida espetacular, que o filho desviado do doador voltaria a Jesus, que cada decisão que o doador tomasse seria vinda direta de Deus e que o doador não tomaria uma decisão errada sequer por 12 meses. E por aí vai.

E eu chorava e pensava naqueles que vão doar o dinheiro e nada disso vai acontecer. Nada. Falta de fé minha? Não. Conhecimento da Bíblia.

Enquanto o homem falava vinham à minha mente versículos como Mateus 6.19-21: “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração”.
E Mateus 6.24-33: “Ninguém pode servir a dois senhores; pois odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro. Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles.Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas”.

E quem disse isso que está transcrito em negrito aí em cima foi Jesus de Nazaré. Preciso dizer alguma coisa?

Queridos, eu não sou ninguém. Não sou famoso. Não tenho programa de TV. Não sou conferencista. Não tenho a fortuna que esses homens têm. Não sou celebridade. Não sou nada. Mas uma coisa eu sou: temente ao Deus verdadeiro. Estou em angústia, pois muitos e muitos e muitos pequeninos de Jesus acreditam nessas coisas. E eu faço questão absoluta de dizer minha posição: eu não acredito numa única palavra do que aquele cidadão prometeu. E lamento, tenho pena, muita pena, de quem acredita. Sofro por quem acredita. Sofro por quem vê programas como esse e passa a achar que Evangelho é sobre dinheiro, dinheiro, dinheiro e dinheiro. Semear dinheiro, plantar dinheiro, colher dinheiro…meu Deus! O que está havendo com a igreja de Jesus Cristo?! Uma hora que poderia ter sido usada para pregar a palavra da salvação sendo desperdiçada com pedidos de dinheiro e mais dinheiro.

O dono do programa voltou a atacar os críticos de promessas como essas repetindo seu mantra “criticos nao fazem nada por ninguém”, o que absolutamente não é verdade (leia o post Cristãos críticos que criticam cristãos críticos). Essa frase, acredite, é um tremendo absurdo.  Até porque esse senhor que diz isso vive criticando outras pessoas (inclusive quem o critica). Chamando-as de “trouxa” e outras ofensas, como qualquer um pode conferir em vídeos que estão à disposição no Youtube. Recentemente criticou um bispo para quem quisesse ouvir. Ou seja: ele próprio é um gigantesco crítico.

O blog APENAS não foi criado para criticar pessoas, programas de TV ou quem quer que seja nem vai se tornar um espaço onde se aponta o dedo. Me recuso a isso. É um espaço de reflexão cristã e bíblica. E esta é uma reflexão, não é um ataque a ninguém. É uma reflexão sobre essa maldita Teologia da Prosperidade.

Uma das poucas coisas que esse pastor americano disse ao longo de toda essa hora com que eu concordo foi: “O Espírito Santo vai te mostrar os planos ocultos das pessoas”. E isso, querido, querida, eu oro com todas as minhas forças a Deus que Ele mostre mesmo. E o mais rápido possível. Em o nome de Jesus.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Fonte: Blog Apenas*
Autor: Maurício Zágari

Blog do vencedor do Prêmio Areté 2011 nas categorias "Autor Revelação" e "Melhor Livro de Ficção" por "O Enigma da Bíblia de Gutemberg" (migre.me/7jDrW)

Nenhum comentário:

Postar um comentário