sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Justiça suspende evento religioso em Guarulhos

Juiz afirmou que liberdade religiosa não inclui direito de “instauração de caos” em rodovia


A Justiça paulista suspendeu a realização de um evento religioso que ocorreria a partir das 23h desta sexta-feira (13) na Igreja Mundial do Poder de Deus, em Guarulhos. No dia 1º, um evento na igreja provocou trânsito na rodovia Presidente Dutra, o que levou a Polícia Rodoviária Federal a se posicionar contra o funcionamento do templo. Em caso de descumprimento a igreja terá que pagar multa de R$ 100 mil.


A ação foi movida pelo vereador Geraldo Alves Celestino Filho, que alegou que teria licença para eventos com lotação máxima de 30 mil pessoas, mas a igreja teria indicado que 150 mil pessoas estariam presentes ao evento desta sexta. Além disso, segundo ele, outro evento já realizado no local demonstrou que o não cumprimento do alvará, causou caos, insegurança, engarrafamentos, desordem e prejuízos na
De acordo com a decisão do juiz Rafael Tocantins Maltez, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Guarulhos, é “certo que existe a liberdade de consciência religiosa e o direito de exercício de culto e respectiva liturgia”. Entretanto, diz o magistrado, “em tal direito não está incluída a instauração de caos em local situado em cidade chave para a população do Estado de São Paulo”.

Inquérito

O Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar congestionamento provocado na rodovia Presidente Dutra, no dia 1º de janeiro, em consequência da inauguração da sede da Igreja Mundial do Poder de Deus em Guarulhos.

A instalação do templo provocou o afluxo de inúmeros fiéis transportados em centenas de ônibus que acabaram interditando a Dutra, principal rodovia que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, com reflexos nas rodovias Hélio Schimidt e Ayrton Senna, prejudicando passageiros que se deslocavam para o aeroporto internacional de Cumbica, em São Paulo.


fonte: R7 NOTICIAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário