quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Crivella diz crer em aproximação do governo Dilma com evangélicos

Senador Marcelo Crivella foi anunciado como novo ministro da Pesca.
Candidato, Haddad foi criticado por evangélicos por kit anti-homofobia.

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília

O novo ministro da Pesca, Marcelo Crivella (PRB-RJ), afirmou nesta quarta-feira (29) acreditar que sua indicação para o cargo resultará em uma maior aproximação do governo com os evangélicos. Senador integrante da bancada evangélica, Crivella foi indicado nesta tarde para substituir Luiz Sérgio na Secretaria da Pesca e Aquicultura.

“Acredito que sim [haverá maior aproximação], embora não tenha sido esse o objetivo quando ela [Dilma] me convidou. [...] Sempre trabalhei na bancada evangélica para dirimir controvérsias”, afirmou.

A aproximação do governo com os evangélicos é estratégica para a candidatura do ex-ministro da Educação Fernando Haddad à Prefeitura de São Paulo. Haddad enfrentou forte oposição de parlamentares religiosos ao tentar implementar nas escolas o chamado "kit anti-homofobia", material didático voltado ao combate ao preconceito contra homossexuais.

O PRB de Crivella é o partido do ex-vice-presidente José Alencar, morto em março de 2011. O partido agrega parte da bancada evangélica no Congresso, integrou a base de sustentação do governo de Luiz Inácio Lula da Silva e segue na base aliada no governo Dilma Rousseff.
Em nota, a Presidência afirmou que a indicação de Crivella abre espaço para "importante partido aliado".

O senador Marcelo Crivella disse esperar que as bancadas evangélicas na Câmara e no Senado possam “cooperar” mais com o governo federal. “Eu faço parte da bancada evangélica e espero que ela consiga cooperar com o governo. Mas sou indicado do PRB, não da bancada”, destacou.

Metas
Crivella afirmou que, como ministro da Pesca, tentará alcançar quatro metas: gerar 1 milhão de empregos no setor em dez anos, quintuplicar a produção sustentável da aquicultura, duplicar a captura sustentável de peixes e duplicar o consumo per capita de peixes no Brasil.

O novo ministro admitiu que “tem muito a aprender” sobre pesca e aquicultura. “É uma área que, eu confesso a vocês, vou ter que aprender, e aprender muito”, afirmou.

Crivella contou que Dilma disse a ele, por telefone, que o setor da pesca é importante por envolver “milhões de brasileiros, sobretudo famílias humildes.”

“A minha responsabilidade é enorme e eu espero poder estar à altura desse cargo, dessa honraria”, disse. O novo ministro afirmou que é preciso aumentar a quantidade de engenheiros e cientistas voltados ao setor da pesca.

Fonte: g1

Nenhum comentário:

Postar um comentário