quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Pastor Silas Malafaia considera absurda ação do Ministério Público contra ele, e afirma que irá até “as últimas consequências na Justiça”


O Ministério Público moveu ação contra o pastor Silas Malafaia e contra a TV Bandeirantes, pedindo retratação pelas declarações do pastor durante o programa Vitória em Cristo, quando Silas afirmou que a Igreja Católica deveria retaliar as ações de manifestantes homossexuais durante a Parada Gay em São Paulo.

Silas afirmou ser “absurda” a ação do MP e garantiu que não irá se retratar com os ativistas gays: “Em hipótese alguma vou pedir retratação, pois isso é um absurdo. Os gays manipularam a minha fala para me incriminar, e sou eu que tenho de pedir retratação? Isto deve ser uma brincadeira”, afirmou o pastor, em nota. Para Malafaia, o MP quer “rasgar” a Constituição Brasileira para beneficiar os homossexuais, e garante que irá se manter firme em sua postura: “Vou às últimas consequências na Justiça”.

Esse episódio foi marcado por um vídeo editado em que os denunciantes suprimiram a frase completa do pastor e frisaram as frases “entrar de pau” e “baixar o porrete”. O pastor Silas foi acusado de homofobia e de incitação ao crime de ódio. A frase completa era um pedido do pastor à Igreja Católica para que tomasse providências em relação à banalização de símbolos católicos durante a Parada Gay: “Os caras na Parada Gay ridicularizaram símbolos da Igreja Católica e ninguém fala nada. É para a Igreja Católica ‘entrar de pau’ em cima desses caras, sabe? ‘Baixar o porrete’ em cima pra esses caras aprender. É uma vergonha”.

Porém, o procurador responsável pela ação, Jefferson Aparecido Dias, Silas Malafaia demonstrou ódio em seu discurso: “As gírias ‘entrar de pau’ e ‘baixar o porrete’ têm claro conteúdo homofóbico, por incitar a violência em relação aos homossexuais”, relata o procurador Dias na ação. O tempo requerido pelo procurador para a retratação de Silas Malafaia deverá ter no mínimo, o dobro do tempo usado para tecer os comentários e que o pastor não se pronuncie mais de maneira que possa ser interpretada como homofobia.

Em relação à TV Bandeirantes, o procurador entende que a emissora deveria evitar que mensagens homofóbicas fossem transmitidas em sua programação. A direção da emissora afirmou que fará pronunciamento “oportunamente através do seu departamento jurídico”.

No inquérito, consta depoimento do pastor Silas Malafaia dizendo que teceu uma “crítica severa a determinadas atitudes de determinadas pessoas desse segmento social, acrescida também de reflexão e crítica sobre a ausência de posicionamento adequado por parte das pessoas atingidas”.

Em resposta, o procurador afirma na ação que a fala de Silas Malafaia poderia ser interpretada de forma errada por parte dos fiéis, o que causaria perseguição a homossexuais. Como exemplo, cita os inúmeros e-mails que recebeu dos seguidores de Silas Malafaia após um pedido do pastor. “Da mesma forma que seus seguidores atenderam prontamente o seu apelo para o envio de tais e-mails, o que poderá acontecer se eles decidirem, literalmente, “entrar de pau” ou “baixar o porrete” em homossexuais?”, questiona Jefferson Aparecido Dias.

Publicado por Tiago Chagas em 29 de fevereiro de 2012


Fonte: Gospel+

2 comentários:

  1. o pastor cilas não entende estes caras que ele chama de caras são manipulados pelos demonios cada ves vai surgi mais e mais /

    ResponderExcluir
  2. Foi uma forma errada do Pastor Silas Malafaia se expressar mais é verdades essas pessoas esta passando do limite envolve até Deus em suas homofobias pare com isso..Sò sei de uma coisa que um dia eles vão prestar contas com Deus ai eu quero vê Ministério Publico, juiz qualquer autoridade defender eles...Amigos querem ser seguir seus caminhos sigam mais se lembrem que que tudo que vocês fizerem aqui iram prestar contas com Deus no dia do Juizo Final....Jesus esta volta...A palavra de Deus diz ai daqueles que tocar num de meus pequeninhos...Desejo uma boa tarde a todos e fiquem com Deus

    ResponderExcluir