quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Sacrifício de Ciranças

No estado indiano de Orissa é comum a prática de sacrifíio de crianças a Deusa Durga.

Durga (em sânscrito: दुर्गा, lit. "a inacessível"[1] ou "a invencível"[2]; em bengali: দুর্গা) também conhecida como Maa Durga ou Ma Durga (মা দুর্গা, "Mãe Durga") é, no hinduísmo, uma forma de Devi, a deusa suprema. Durga é considerada pelos hindus como a mãe de Ganesha, Kartikeya, assim como de Saraswati e Lakshmi.[3] Ela é considerada a forma da esposa de Shiva, a deusa Parvati, como caçadora de demônios.

Durga é descrita como um aspecto guerreiro da Devi Parvati com 10 braços, que cavalga um leão ou um tigre, carrega armas e assume mudras, ou gestos simbólicos com a mão. Esta forma da Deusa é a encarnação do feminino e da energia criativa (Shakti).

Muitas comiunidades na Índia tem forte tradição tribal e cre e prática estes sacrifícios com crianças ao menos 03 vezes ao ano.

No estado indiano de Orissa, na vila de Chotkei, distrito de Angul por depoimentos de pessoas presas por estes atos revelam que a população do recolhem o sangue das crianças para oferecer a deusas.

Notícias como essa são extremamente chocantes. Se algo assim acontecesse no mundo ocidental, seriam ouvidos muitos protestos. Ao mesmos tempo, porém, acostumamo-nos com o sacrifícios de bebês que ainda não nasceram: milhões deles são abortados e “sacrificados” ao deus da conveniência (leia gravidez indesejada) e do materialismo (leia hedonismo e vaidade).

As palavras de 1 Coríntios 10.20 aplicam-se aos dois casos:


“Antes, digo que as coisas que eles sacrificam, é a demônios que as sacrificam e não a Deus; e eu não quero que vós torneis associados aos demônios.”

FONTE:Blog do Jornal da Assembléia

Nenhum comentário:

Postar um comentário