sexta-feira, 4 de maio de 2012

Advogado de Youcef Nadarkhani é condenado à prisão; destino do Pastor iraniano é incerto

O único advogado que representa pastor cristão iraniano Youcef Nadarkhani teria sido condenado a nove anos de prisão por supostos atos que violam a segurança nacional e por espalhar propaganda contra o regime. Sua prisão colocaria o caso Nadarkhani ainda mais em perigo, segundo os observadores.



Mohammad Ali Dadkhah, que defendeu várias pessoas no corredor da morte no Irã, disse à publicação britânica The Guardian que ele também foi proibido de exercer a advocacia por 10 anos e proibido de ensinar em universidades. O relatório do The Guardian foi publicado quinta-feira.

"Fui condenado por agir contra a segurança nacional, espalhar propaganda contra o regime e manter livros proibidos em casa", disse ao Guardian Dadkhah de Teerã.

"Eu estava em um tribunal em Teerã, defendendo um de meus clientes, Davoud Arjangi, um ativista político preso no corredor da morte quando o juiz me disse que minha própria sentença havia sido aprovada e eu seria logo convocado para a cadeia para servir a nove anos de sentença", acrescentou o advogado.

Dadkhah é conhecido principalmente por ser o único advogado que escolheu assumir o caso Nadarkhani, que atraiu a atenção internacional desde a prisão do cristão evangélico, depois de se pronunciar contra o Islã sendo ensinado nas escolas de seus filhos

O Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ), que tem vindo a acompanhar de perto o caso do pastor, argumenta que este movimento em nome do governo não é benéfico para a situação atual do Nadarkhani. O pai casado de dois filhos foi preso no Irã desde outubro de 2009 sob acusações de apostasia e de tentar evangelizar muçulmanos.

"A notícia de que este renomado advogado de direitos humanos foi condenado à prisão por autoridades iranianas é muito preocupante", disse Jordan Sekulow, Diretor Executivo do ACLJ, em um comunicado de imprensa.

"Esse desenvolvimento só reforça o fato de que o Irã não tem respeito pelos direitos humanos básicos. Também levanta outra preocupação sobre o destino do Pastor Youcef. Com o seu advogado enfrentando nove anos de prisão, e nenhum outro advogado provável de assumir o caso, o pastor Youcef não tem nenhum defensor legal, o que o coloca em maior risco", acrescentou.

Dadkhah defendeu outros importantes presos políticos e religiosos, incluindo ativistas de direitos humanos que enfrentaram prisão após as eleições de 2009 e político Ebrahim Yazdi, que é conhecido como o mais antigo prisioneiro político iraniano devido ao seu envolvimento no Movimento de Libertação do partido do Irã.

Nadarkhani permanece na prisão após ter sido publicada em fevereiro de que uma ordem de execução foi proferida pelos tribunais. O ACLJ confirmou que, de quarta-feira, o pastor está vivo. Quinta-feira marca 934 dias Nadarkhani de prisão.

The Christian Post

Nenhum comentário:

Postar um comentário