terça-feira, 24 de julho de 2012

Assembleia de Deus mira crescimento político nas próximas eleições: “Nosso projeto é ter um vereador em cada cidade do país”, afirma pastor Lélis Washington


Assembleia de Deus mira crescimento político nas próximas eleições: “Nosso projeto é ter um vereador em cada cidade do país”, afirma pastor Lélis WashingtonA Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) planeja que em cada cidade do Brasil ao menos um candidato a vereador filiado à denominação seja eleito em 2012.
Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
A projeção foi feita pelo pastor Lélis Washington Marinhos, presidente do conselho político nacional da CGADB: “Temos igrejas em 95% dos municípios e isso favorece a divulgação dos candidatos. Nosso projeto é ter um vereador em cada cidade do país”, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo.

A Assembleia de Deus é a igreja que mais cresce em todo o país, de acordo com informações do Censo 2010, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o relatório, do total de 42 milhões de fiéis evangélicos, 12 milhões são assembleianos.

As pretensões políticas, no entanto, apesar de ousadas, não são completamente orquestradas: “No Estado de São Paulo, monitoramos 250 candidatos a vereador. Mas, além deles, muitos outros membros da igreja entraram na disputa sem o nosso conhecimento, por iniciativa própria”, revela o pastor Lélis. Outro fator é a divisão da estratégia política das Assembleias de Deus, entre CGADB e a Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil (Conamad), popularmente chamada de Ministério de Madureira. Embora atuem separadamente nas campanhas, no Congresso Nacional os parlamentares ligados a esses blocos agem em conjunto na bancada evagélica.

O cientista político Cesar Romero Jacob afirma que as Assembleias de Deus tem postura diferente das demais denominações pentecostais, o que resulta em maior credibilidade junto aos fiéis: “A Assembleia de Deus atrai fiéis com o discurso da austeridade, a defesa da família, enquanto outras igrejas pentecostais apostam na teologia da prosperidade, a promessa de melhoria de vida. Na ausência do Estado, onde a população não tem acesso à educação ou saúde, vivendo amedrontada pela violência, a igreja é o espaço que oferece um tipo de segurança a essas famílias”, aponta.

O pastor Abner Ferreira, um dos líderes na Conamad, aponta a mudança de mentalidade da liderança e dos fiéis como um dos fatores que podem determinar o crescimento do poderio político, além da pluralidade partidária na denominação: “A mentalidade mudou nos últimos 20 anos. Antigamente, ouvir rádio ou ver TV era considerado pecado. Hoje entendemos que são dois veículos
extraordinários para a pregação do evangelho [...]Nós não temos apenas um líder. A igreja não é centralizada na figura de uma só pessoa. O objetivo é formar líderes para chegar onde o povo está. Por isso em qualquer gueto tem um templo da Assembleia de Deus”, ressalta Ferreira.

Publicado por Tiago Chagas

Redação Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário