segunda-feira, 16 de julho de 2012

Caso Maiara Kohler: 'momento é de eliminar suspeitas', diz Polícia Civil

Show dos Travessos, na noite de 22 de junho, foi uma das últimas festas frequentadas pela jovem (no centro, de vermelho)
 
Foto: Reprodução/Facebook
Procura por informações sobre Maiara registrou 72 mil acessos ao site Canguçu On Line em dois dias

A procura por informações sobre o trágico desfecho do desaparecimento de Maiara Kohler levou o site Canguçu On Line a receber mais de 72 mil acessos em dois dias.

O pico de acessos foi registrado desde o momento em que a reportagem acompanhou a localização do corpo, no Rincão dos Maias, 1º Distrito, até a hora em que centenas de familiares e amigos se reuniram na Comunidade Luterana Santa Marta, 2º Distrito, para a despedida da jovem de 20 anos, descrita como “uma pessoa alegre, simpática e sem inimizades”.

Na terça-feira (10), foram registradas mais de 32 mil visitas à página www.cangucuonline.com.br. No dia seguinte, o número superou 40 mil. Em um dia comum, o número de acessos fica próximo dos 11 mil.

A Polícia Civil segue investigando o crime. Até o momento, já foram ouvidas cerca de 20 pessoas.
- É o momento de eliminar suspeitas para se chegar o mais rápido possível aos envolvidos no crime. Toda informação que recebemos está sendo averiguada – disse a delegada Paula Vieira, em entrevista a Canguçu On Line.

A Polícia ainda aguarda o laudo final da perícia, que não tem prazo determinado. O documento deve ser emitido nos próximos dias e vai informar com mais detalhes quando Maiara foi morta. A partir daí, a investigação pode eliminar suspeitas e, inclusive, tomar novo rumo. As características em que o corpo foi encontrado também podem indicar que o homicídio não foi cometido no sábado, noite em que ela desapareceu.

O documento preliminar do Instituto Médico Legal (IML) apontou que a causa da morte foi “asfixia mecânica por estrangulamento”. Além disso, foi comprovado que a jovem não estava grávida, o que chegou a ser especulado.

Suposta passagem de Maiara pela cooperativa Sicredi

A investigação analisa a informação de que Maiara teria sido vista em uma cooperativa Sicredi, em Pelotas, na tarde de segunda-feira, um dia antes de ser encontrada morta.

- Já pedimos as imagens ao Sicredi, mas não acreditamos nesta hipótese. As imagens serão analisadas para que possamos descartar esta suspeita e avançar na investigação – adianta Paula Vieira.
Mensagem de celular intriga pai da vítima

 Na noite de segunda-feira, Claudiomar Kohler recebeu uma mensagem no celular. O texto, cheio de erros e de difícil leitura, não pôde ser interpretado pela Polícia Civil. O jornal Canguçu On Line também teve acesso à mensagem, que parecia ter sido enviada pela mãe de uma amiga de Maiara, pedindo notícias do desaparecimento.

A mensagem ainda deixa Claudiomar intrigado. Na manhã de quarta-feira, enquanto aguardava a chegada do IML em Canguçu, por diversas vezes ele pegou o celular e retornou ao texto na tentativa de encontrar um sinal sobre o crime.

FONTE; http://www.cangucuonline.com.br/index.php?menu=noticia&categoria=49&noticia=4254

Nenhum comentário:

Postar um comentário