sábado, 1 de setembro de 2012

Polícia Civil conclui inquérito sobre a morte de Maiara

Foto: Diego Vilela
À espera de uma resposta, família pode repetir manifestação na próxima semana
2ª Vara Judicial avaliará o inquérito; suspeito pode ser indiciado por autoria ou participação no homicídio e ocultação de cadáver

Está com o Ministério Público (MP) de Canguçu o inquérito policial que investiga a morte de Maiara Schellin Köhler. Nos últimos dias, a Polícia Civil realizou buscas na cidade atrás de mais provas que pudessem enriquecer a documentação que foi entregue ao MP no final da tarde de quarta-feira (29).

Em um dos mandados de busca, a equipe foi reforçada por um policial da Força-Tarefa Homicídios de Pelotas, que nos últimos três meses elucidou 86% dos casos registrados no município vizinho. Em 2012, os pelotenses convivem com uma assustadora marca de 35 mortes violentas até o final de agosto.

O registro de ligações do aparelho celular de Maiara foi solicitado pela Polícia Civil à operadora Oi logo no início da investigação. Um desencontro no envio do material, no entanto, atrapalhou o andamento. Assim que o registro solicitado chegou, foi possível identificar a troca de mensagens e as ligações feitas e recebidas na noite de 7 de julho, quando a então funcionária da Padaria Frischtick saiu do trabalho e não foi mais vista.

> Leia mais notícias sobre o caso Maiara Köhler

Como o telefone não estava interceptado na época, não é possível ter acesso ao conteúdo das conversas. No entanto, um outro fator contribuiu de forma decisiva para a evolução da investigação: o rastreamento do telefone que manteve contato com Maiara naquela noite mostrou que o proprietário do número esteve na localidade do Rincão dos Maias, 1º Distrito, onde o corpo foi encontrado na tarde de 10 de julho.

Polícia indicia suspeito

 A Polícia Civil dá por encerrada a investigação. A partir de segunda-feira (3), o Ministério Público poderá dar o parecer sobre o caso. Depois, caberá à 2ª Vara Judicial avaliar o inquérito. O suspeito pode ser indiciado por autoria ou participação no homicídio e ocultação de cadáver.

Família pode organizar nova manifestação

 Na próxima sexta-feira (7), o desaparecimento de Maiara Köhler completará dois meses. Familiares da vítima, que moram na Florida, 2º Distrito, apostam em uma nova manifestação neste dia, feriado pela Independência do Brasil.

No dia 13 de agosto, cerca de mil pessoas foram às ruas com faixas e cartazes pedindo mais agilidade na elucidação do crime. Durante a passeata silenciosa, a maior parte das lojas da rua General Osório fechou as portas, em plena tarde de segunda-feira. A atividade foi encerrada com uma parada em frente ao Fórum.

fonte: Canguçu online

http://www.cangucuonline.com.br/index.php?menu=noticia&categoria=49&noticia=4591


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário