sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Caso de criança de 4 meses “possuída” gera medo na Colômbia

Autoridades investigam se bebê faria coisas “demoníacas” em casa.

por Jarbas Aragão   
Caso de criança de 4 meses “possuída” gera medo na Colômbia
Caso de criança de 4 meses “possuída” gera medo na ColômbiaAna Feria Santos, moradora da cidade de Santa Cruz de Lorica, na Colômbia, está assustando toda a sua comunidade. Ela afirma que o seu filho de apenas quatro semanas de vida caminha como um adulto, apresenta estranhas marcas no corpo e dá gargalhadas “malignas”. Por vezes, ele se comportaria como um adulto e seria capaz de “soltar fogo”.

Qual a explicação dada por ela? A criança está possuída pelo demônio! Muitos moradores de Santa Cruz de Lorica também acreditam nisso. Assustados, alguns vizinhos apedrejaram a casa onde o bebê mora, exigindo que a família fosse embora.

As autoridades, contudo, acreditam que não há nada de sobrenatural na situação. O governo local enviou uma equipe para investigar o caso, que inclui uma assistente social, uma nutricionista, uma psicóloga e um advogado. Eles visitaram a casa, entrevistaram os parentes e os vizinhos. Um representante da Igreja Católica da cidade disse que foi chamado, mas que não há indícios da necessidade de exorcismo nem de que a família esteja envolvida com magia negra.

Os médicos que examinaram o bebê afirmam que ele não demonstra nenhum comportamento fora do normal. Contudo, há sinais de maus-tratos no garoto, o que explicaria as “marcas estranhas”. A criança não produz fogo, mas os familiares é que teriam o hábito de colocá-lo para dormir em um sofá que possui várias marcas de queimadura de cigarro.

A mãe estaria inventando essas histórias para tentar encobrir o abuso. Se confirmadas as suspeita de maus-tratos, a mãe poderá perder a guarda da criança. O pai, o motorista de tax Óscar Palencia López seria conivente e não impediria as agressões.

Com informações UOL e NY Daily News
http://noticias.gospelprime.com.br/caso-de-crianca-de-4-meses-possuida-gera-medo-na-colombia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário