sexta-feira, 29 de junho de 2012

OAB-PR emite parecer sobre ação do Conselho de Psicologia contra Marisa Lobo, e classifica ação como “descabida” e “inconstitucional”. Leia na íntegra

A psicóloga Marisa Lobo recebeu um parecer da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná classificando o inquérito do Conselho Regional de Psicologia (CRP-PR) contra ela, por manifestar sua fé publicamente, inconstitucional.




Na ocasião da abertura do inquérito, o CRP-PR notificou a psicóloga Marisa Lobo de que abriria processo interno de cassação de seu registro como psicóloga, se em quinze dias ela não retirasse as menções ao cristianismo de suas páginas na internet.



Marisa Lobo se recusou a acatar a sugestão do Conselho e iniciou uma campanha pessoal, em busca de referenciais jurídicos e apoio da sociedade para evitar a cassação de seu registro. Foi nesse momento que a psicóloga solicitou à OAB-PR que a Comissão de Direito e Liberdade Religiosa avaliasse seu caso.



No parecer enviado pela OAB a Marisa Lobo, a ação do CRP é tratada como “inconstitucional”. O parecer foi “lavrado pela Relatora Doutora Francielli Morêz, revisado pelos Doutores Sandro Mansur Gibran e Paulo Henrique Gonçalves, o qual foi analisado e aprovado na reunião mensal da Comissão De Direito E Liberdade Religiosa Da OAB/PR realizada no dia 14 de junho de 2012, reunião esta presidida por mim Dr. Acyr De Gerone e a aprovação de seus membros presentes sendo os Doutores: Edna Vasconcelos Zilli, Allan Kardec Carvalho Rodrigues, Hugo Jesus Soares, Jessika Torres Kaminski, João Vitor Holz França, Mykael Rodrigues de Oliveira e Otoniel Oliveira Santos.



Em seu conteúdo, o posicionamento da OAB afirma que “o ato administrativo consubstanciado na notificação endereçada à Psicóloga Marisa Lobo Franco Ferreira Alves padece de vício de inconstitucionalidade material, eis que tanto sua motivação quanto sua finalidade agridem frontalmente, na essência desta análise, o princípio fundamental da dignidade da pessoa humana, exaltado no artigo 1º, inciso III da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, bem como os dispositivos constitucionais corroborados no artigo 5º, incisos VI e VIII”.



O parecer ressalta ainda que a manifestação de fé não pode ser considerada proselitismo, como o CRP mencionou em seu inquérito: “O ato administrativo perpetrado pelo Conselho Regional de Psicologia do Paraná contra a consulente é indubitavelmente inconstitucional, pois de forma clara descortina a indevida utilização de um instituto jurídico de natureza conceitual diversa – o proselitismo – à conduta da Psicóloga Marisa Lobo Franco Ferreira Alves, com o fito de cerceamento do seu direito inabalável de assumir publicamente sua fé”.



Confira abaixo a íntegra do parecer da Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da Ordem dos Advogados do Brasil no Paraná sobre o inquérito movido pelo CRP-PR contra Marisa Lobo:



PARECER


A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, dentre o rol de atribuições legais de sua incumbência, sustenta como finalidades a defesa da Constituição, da ordem jurídica do Estado Democrático de Direito, dos direitos humanos e da justiça social, bem como pugnar pela boa aplicação das leis, pela rápida administração da justiça e pelo aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas, conforme enumerado no artigo 44, inciso I, da Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil). À face destas considerações, e conforme consulta e pedido de apreciação apresentados pela Psicóloga Marisa Lobo Franco Ferreira Alves a esta Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB/PR, aos oito dias de março de 2012, acerca do alegado cerceamento do exercício da liberdade religiosa no desempenho da profissão, manifesta-se a aludida Comissão nos termos seguintes.




Em 09 de fevereiro de 2012 o Conselho Regional de Psicologia do Paraná (CRP-08) formalizou notificação endereçada à consulente, Psicóloga com inscrição ativa junto à referida autarquia sob o nº 7512, correlativamente ao estabelecimento da retirada, no prazo de 15 (quinze) dias, de informações do seu blog marisalobo.blogspot e do seu twitter @marisa_lobo que vinculassem o exercício da sua profissão à sua convicção religiosa. O teor da notificação supramencionada foi fundamentado no artigo 2º, alíneas b e f do Código de Ética Profissional do Psicólogo:[1]




Art. 2º – Ao psicólogo é vedado:


(…)


b) Induzir a convicções políticas, filosóficas, morais, ideológicas, religiosas, de orientação sexual ou a qualquer tipo de preconceito, quando do exercício de suas funções profissionais;


(…)


f) Prestar serviços ou vincular o título de psicólogo a serviços de atendimento psicológico cujos procedimentos, técnicas e meios não estejam regulamentados ou reconhecidos pela profissão.




A apreciação do caso em pauta invoca, necessária e previamente, a contemplação da liberdade religiosa na peculiaridade do seu conteúdo, eis que sua noção não se esgota na livre escolha, pelo indivíduo, da sua própria religião. Esta liberdade demanda uma série de elementos fundamentais, do que resulta também incluso, no seu âmago, um leque de outros direitos inerentes a este bem jurídico principal: a crença, albergada ora pela livre escolha da posição confessional a que se vai aderir, ora pela opção de mudança desta posição confessional em favor de outra – ou mesmo de nenhuma, no caso de inclinação ao ateísmo ou ao agnosticismo; o culto, consubstanciado na exteriorização da crença mediante manifestações de caráter litúrgico; e as liberdades de organização e de manifestação religiosas, a primeira no sentido de organizar-se uma crença e o seu culto de forma institucionalmente constituída, e a segunda no sentido de consolidar a expressão pessoal da fé.[2]




O teor do artigo 2º, alínea b do Código de Ética Profissional do Psicólogo aduz claramente à vedação do proselitismo no exercício desta profissão, nada obstante tratar-se o proselitismo de uma das formas de expressão pessoal da fé, e, portanto, de integrar a essência da liberdade religiosa em sentido amplo. Em termos conceituais, e muito embora a questão suscite uma complexidade tal que torne praticamente inviável qualquer tentativa de unicidade neste sentido, o proselitismo pode ser concebido como a adoção de comportamentos idôneos à aquisição do consentimento e da adesão de outros à própria religião e à comunidade em que esta eventualmente se exprime, ou ainda, como um conjunto de comportamentos dirigidos de dentro da comunidade dos crentes


Publicado por Tiago Chagas
Fonte:: Gospel +


Entre os anos 2000 e 2010, população evangélica cresceu 61%, afirma IBGE. Confira dados



O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados comparativos entre os censos realizados nos anos 2000 e 2010 sobre religião, e apontou crescimento de 61,45% dos evangélicos nos últimos dez anos.



De acordo com o comparativo, no ano 2000, cerca de 26,2 milhões de brasileiros se declaravam evangélicos, quantidade correspondente a 15,4% da população, e no ano de 2010, a quantidade de brasileiros que se identificaram como evangélicos saltou para 42,3 milhões, ou 22,2% da população do país. Nos dados do censo de 1991, o percentual de evangélicos na população brasileira era de 9%.



Mesmo com esse crescimento, a maioria da população brasileira ainda é católica, embora a perda de fiéis proporcionalmente ao crescimento da população seja constante. Desde o ano em que foi realizado o primeiro censo, 1870, os católicos eram 99,7% da população, e em 2010, somam 73,6% dos brasileiros, de acordo com informações do G1.



O crescimento dos evangélicos está diretamente ligado à diminuição da quantidade de católicos, e nas regiões Norte e Nordeste, o dado comparativo do IBGE aponta com maior clareza esses números.



Entre 2000 e 2010, a maior redução percentual de católicos foi na região Norte, que passou de 71,3% para 60,6% da população, enquanto que os evangélicos saltaram de 19,8% para 28,5%.



Já na região Nordeste, os evangélicos cresceram de 10,3% da população, para 16,4% nos últimos dez anos.



O estado brasileiro com menor percentual de católicos é o Rio de Janeiro, com 45,8%. O estado fluminense também registrou a maior concentração de espíritas do Brasil, com 4% da população.



O estado brasileiro que registra a maior concentração de evangélicos, proporcionalmente, é Rondônia, onde 33,8% dos habitantes se declararam adeptos da doutrina evangélica. O estado do Piauí foi onde a menor presença de evangélicos foi registrada, com 9,7%.



O IBGE divulgou também, dados comparativos entre religião e formação escolar, e dentre os evangélicos, 6,2% não possuem instrução, e 42,3% afirmam ter o ensino fundamental incompleto.



O pastor Márcio de Souza comentou a divulgação dos dados e demonstrou preocupação com os reais motivos do crescimento: “Por trás dessa explosão demográfica evangélica, devemos pensar no que tem gerado esse crescimento em nosso meio. Será a ‘fama’ de que crente prospera ou o afã de responder o chamado divino para a ‘Missio dei’? Será que estamos atentando muito para a quantidade e deixado a qualidade de lado?”, questiona Souza.



Segundo o colunista do Gospel+, o parâmetro para visualizar os efeitos do crescimento dos evangélicos é a realidade social: “Um bom termômetro para isso é olhar a situação de desigualdade social e injustiça no país. Quando Calvino pregou o evangelho em Genebra, a cidade deixou de ser um pulgueiro onde pessoas jogavam fezes pelas janelas de casa e passou a ser uma referência de civilidade, justiça social e respeito ao direito do outro. Sem contar que o trabalho foi dignificado e reconhecido como ferramenta de Deus para nos prosperar”, observa.



Para Márcio, o crescimento em números dos evangélicos não tem refletido na sociedade de forma que a transforme: “Hoje, somos 42 milhões e os lixões continuam cheios de crianças sendo exploradas, gente brigando com cães e urubus o pão de cada dia, as favelas continuam a se multiplicar, o tráfico de drogas continua a recrutar nossos meninos e o nosso índice com relação a distribuição de renda e desenvolvimento humano só não é pior que o de Serra Leoa e algumas republiquetas africanas. Se o Evangelho vigente no Brasil seguisse a doutrina dos apóstolos, o país seria outro. Não teríamos pastores milionários e crianças famintas. precisamos pensar se não estamos transformando lobos em bodes ao invés de ovelhas”, critica o pastor.



Para ler a íntegra do artigo “Explosão Evangélica! Somos 42 milhões! E dapi?”, de Márcio de Souza em sua página, acesse este link.



De acordo com o censo, o número de pessoas sem religião cresceu entre os anos 2000 e 2010, passando de 12,5 milhões para 15 milhões.



Confira abaixo, infográficos retirados do site Estadão Dados, com comparativos entre a quantidade e crescimento de adeptos da religião evangélica com as outras religiões no Brasil, entre os anos 1940 e 2010:














Publicado por Tiago Chagas


Fonte: Gospel+






Assembleia de Deus é a denominação que mais cresce entre os evangélicos

Dos brasileiros que se declaram evangélicos, 60% são pentecostais o que representa 10,4% da população do Brasil
De acordo com dados do Censo divulgado nesta sexta-feira (29) pelo IBGE, a Assembleia de Deus é a igreja que mais cresceu no Brasil entre 2000 e 2010, passando de 8,4 milhões de membros para 12,3 milhões.




Os dados confirmam que a AD continua sendo a maior denominação evangélica do Brasil, mesmo sendo dividida em tantos ministérios. Fundada em 1911 por missionários suecos que desembarcaram em Belém (PA), hoje, 101 anos depois, a Assembleia de Deus está espalhada por todos os estados do país reunindo membros de todas as idades e classes sociais.



O Censo de 2010 mostra que entre os brasileiros que se declaram evangélicos, 60% – que representa 10,4% da população – são de igrejas pentecostais, enquanto que apenas 18,5% são de igrejas históricas como luteranos, presbiterianos, metodistas, batistas e etc. Essa parcela representa 4,1% dos brasileiros.



O coordenador de População e Indicadores Sociais do IBGE, Cláudio Dutra Crespo, fala sobre o crescimento dos evangélicos do Brasil. “O crescimento dos evangélicos foi impulsionado, principalmente, pelas igrejas pentecostais. As de missão pararam de crescer”, disse ele.



As igrejas neopentecostais também estão em ritmo de crescimento, principalmente a Igreja Mundial do Poder de Deus que apareceu no Censo pela primeira vez, mesmo tendo mais de 14 anos de existência.



Tanto o ministério de Valdemiro Santiago, como a Igreja Internacional da Graça de Deus, do missionário R.R. Soares, estão aumentando o número de fiéis, enquanto que a Igreja Universal do Reino de Deus (a maior do país nesse segmento) continua perdendo membros.


por Leiliane Roberta Lopes

http://noticias.gospelprime.com.br/assembleia-de-deus-e-a-igreja-que-mais-cresce-entre-os-evangelicos/






Colunista critica eventual apoio de Valdemiro Santiago ao pai do kit gay: “Em ano eleitoral ‘demônios’ viram ‘anjos’ e vice versa”. Leia na íntegra

Colunista critica eventual apoio de Valdemiro Santiago ao pai do kit gay: “Em ano eleitoral ‘demônios’ viram ‘anjos’ e vice versa”. Leia na íntegraA informação de que o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, poderá apoiar o candidato do Partido dos Trabalhadores à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, foi tema de um artigo de Paulo Teixeira, colunista do Gospel+.

Fernando Haddad é ex-ministro da educação e considerado pela mídia como o “pai do kit gay”, material que seria distribuído nas escolas públicas do Brasil e que foi suspenso pela presidente Dilma Rousseff.

Segundo Teixeira, “em ano eleitoral pode-se esperar as mais estapafúrdias surpresas. São dias onde ‘demônios’ viram ‘anjos’ e vice versa”.

O colunista lembra que a ex-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina, se recusou a sair candidata à vice na chapa de Haddad, após o PT aceitar o apoio de Paulo Maluf: “Mesmo discordando de ideais políticos defendidos pela deputada federal Luíza Erundina (PSB/SP), tenho que concordar que ela mostrou-se fiel aos seus princípios e com caráter, ao não aceitar ser vice na chapa de Haddad devido à aliança petista com Paulo Maluf. Erundina e Maluf  sempre defenderam ideais antagônicos”.

Com base na atitude de Erundina, Teixeira critica a possível aliança de Santiago com Haddad: “A mesma atitude de fidelidade aos princípios e ideais de Erundina não será a tomada por Valdemiro, caso se confirme seu apoio ao ‘pai do kit gay’. Pela lógica, Santiago que diz ser seguidor de Cristo deveria prezar pela moralidade e pelos bons costumes, combatendo veementemente qualquer ato ofensivo a Deus, como os anti-família, por exemplo”, frisa Teixeira.

Leia a íntegra do artigo “O kit gay e a decisão de Valdemiro Santiago. E agora?”, de Paulo Teixeira neste link.

Publicado por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+

Projeto de Billy Graham na internet leva mais de 450 mil pessoas ao evangelho


Billy Graham é considerado um dos maiores evangelistas do mundo, e através de suas pregações milhões de pessoas se converteram ao evangelho, e mesmo no auge dos seus 93 anos seu ministério continua em plena atividade, um dos novos projetos da Associação Billy Graham é a evangelização através da internet, que já levou mais de 400 mil pessoas ao evangelho.


A tática consiste em direcionar os internautas com questionamentos existenciais para um site denominado “Paz com Deus”, isso é feito através dos sites de busca. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu Seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”, a mensagem embasada no texto de João 3:16, começa a ser apresentada através de textos e vídeos.



Após apresentar a mensagem evangelística, o site propõe a oração para que a pessoa aceite a Jesus. Para contabilizar os novos convertidos, a Associação Billy Graham utiliza o Google Earth, marcando com pontos de luz os locais onde houve as conversões. Com pouco mais de um ano, o projeto já alcançou quase meio milhão de almas, segundo a Associação.



O site ainda disponibiliza um curso de discipulado online, com duração de cinco semanas, além da assistência de cristãos voluntários que se disponibilizam para responder as perguntas dos novos convertidos. “Se trata de tomar o modelo do que fazemos durante tantos anos, com cruzadas, celebrações, festivais e agora com aplicativo em ambiente online”, explicou John Cass, diretor de evangelismo do projeto.

Publicado por Valder Damasceno

Fonte: Gospel+





Representantes de várias religiões se unem em Brasília contra tratamento penal mais flexível para a prática do aborto


Nessa quarta-feira foi entregue no Senado o anteprojeto do novo Código Penal. O texto foi proposto por uma Comissão Especial de Juristas, criada através de uma proposta do senador Pedro Taques (PDT/MT). A proposta agora aguarda aprovação da dos integrantes do Senado, e tem entre seus pontos mais controversos o tratamento penal mais flexível em relação ao aborto e ao usuário de drogas. Esses dois pontos do projeto foram também os que mais suscitaram perguntas ao senador, e aos membros da comissão.




- Vamos debater com coragem, como foi dito por várias autoridades. A ideia é que possamos debater sem temor, ouvindo aqueles que são diferentes, ouvindo com tolerância, vendo o outro os olhos do outro – respondeu Taques sobre o tema.



O relator da Comissão, o procurador regional do Ministério Público Luiz Carlos Gonçalves, afirmou que em relação ao texto sobre o aborto a proposta mais flexível foi aprovada por unanimidade. De acordo com a Agência Senado, ele afirmou ainda que temas de grande repercussão interna nem sempre corresponderam aos que envolveram maiores debates dentro do próprio grupo de juristas.



- Enquanto alguns segmentos dizem que nossa proposta foi excessivamente aberta, outros nos condenaram por manter o aborto como crime. Mas esse espaço de crítica é bem vindo e temos certeza de que, com a colaboração de todos, que os aperfeiçoamentos devem acontecer no Congresso – ressaltou o procurador.



O texto permite ainda o porte de drogas ilegais quando para uso próprio, e admite o plantio de plantas entorpecentes em quantidade também para uso pessoal



As discussões sobre a flexibilização de penas em caso de aborto motivou, na última terça-feira (26), uma marcha Esplanada dos Ministérios. Os manifestantes se reuniram para protestar contra o aborto e defender a aprovação do Projeto de Lei 478/2007 do Estatuto do Nascituro.



Organizada pela organização não governamental (ONG) Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil Sem Aborto, a 5ª Marcha Nacional da Cidadania pela Vida reuniu representantes da sociedade civil e representantes de várias organizações religiosas.



- A vida é um direito universal, o primeiro e mais fundamental de todos os Direitos Humanos. Em nosso país, a Constituição Federal diz que o direito à vida é inviolável – declarou Jaime Ferreira Lopes, um dos fundadores da ONG.



A manifestação foi também apoiada pela Frente Parlamentar Evangélica, e contou com o discurso do presidente da entidade, o Deputado João Campos (PSDB/GO). De acordo com o site de Frente, participaram ainda da marcha o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, padre Rafael Fornasier, o vice-presidente da Federação Espírita Brasileira, Antônio César Perri, e o Pastor Elias Castilho, secretário-executivo da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso. Além dos membros da ONG e dos representantes religiosos, a marcha contou ainda com a participação de médicos e representantes de outras entidades civis.

Por Dan Martins


Fonte: Gospel+




Pastor Silas Malafaia critica proposta do novo Código Penal afirmando que o texto apoia o aborto e o uso de drogas


As mudanças propostas no Código Penal brasileiro propostas em texto de reforma elaborado por uma comissão de juristas que foi entregue hoje ao presidente do Senado, José Sarney, tem causados protestos e discussão entre representantes religiosos.


De acordo com o site Verdade Gospel, o pastor Silas Malafaia comentou as mudanças propostas, que envolvem questões polêmicas, como a extensão de casos em que a mulher poderá realizar o aborto, a permissão para plantio de drogas para uso próprio e a criminalização da homofobia.



Malafaia criticou vários pontos apresentados na proposta, como a possibilidade de uma mulher poder interromper a gravidez caso seja comprovado que ela não está preparada psicologicamente para ser mãe.



- É uma maneira descarada de aprovar o aborto, contrário a princípios constitucionais que protegem a vida – afirmou o pastor.



O pastor questionou também o fato de que a proposta descriminaliza o consumo e drogas, com como seu cultivo e transporte para uso pessoal. – Por algum acaso quem consome drogas, adquire de quem, um ser extraterrestre ou um demônio que saiu do inferno para vender drogas? – questionou Malafaia, ressaltando que o uso de entorpecentes está diretamente ligado ao tráfico.



O líder da Igreja Assembleia de Deus Vitoria em Cristo falou ainda da equiparação do comportamento homossexual ao racismo e do fato de o novo Código Penal permitir que movimentos sociais como o MST pratiquem vandalismo em repartições públicas.



Leia na íntegra os comentários do pastor:



As aberrações da proposta do novo Código Penal:



1) Uma mulher pode interromper uma gravidez até o terceiro mês se um psicólogo ou um médico atestar que ela não está preparada para ser mãe. Que absurdo!



Desde quando um médico ou um psicólogo tem dados científicos para dizer que uma mulher não está preparada para ser mãe?



A mulher, biologicamente e psicologicamente, já foi formada para ser mãe!



É uma maneira descarada de aprovar o aborto, contrário a princípios constitucionais que protegem a vida.



2) Outro absurdo é a liberação do uso de drogas. Tanto cultivar e transportar drogas para uso pessoal está liberado! Aí tem um dado dos hipócritas: consumir drogas perto de escolas é crime. E a hipocrisia geral: criminaliza o traficante.



Por algum acaso quem consome drogas, adquire de quem, um ser extraterrestre ou um demônio que saiu do inferno para vender drogas?



Uma verdadeira palhaçada! Todo mundo sabe que a liberação de drogas aumenta o seu consumo, e as drogas são um dos elementos mais terríveis como produtora de violência.



3) Outro erro é comparar comportamento homossexual com racismo. Raça você não pede para ser ou não decide ser, é! Homossexualismo é comportamento!



4) Outro absurdo é permitir a baderna de movimentos sociais, tais como MST, que quebram repartições públicas, privadas e que o novo Código Penal os protege.



Povo de Deus, oração sem ação não vale nada! Você é cidadão! Exerça a sua cidadania! Multiplique esta informação e vamos bombardear os senadores com e-mails.


Por Dan Martins


Fonte: Gospel+








quarta-feira, 27 de junho de 2012

"ARCA DA ALIANÇA PODE SER REVELADA", SERÁ?


Um jornalista britânico afirmou recentemente que a arca da aliança está escondida em uma capela na Etiópia. Para os pesquisadores deste tema essa não é uma notícia nova, já que a maioria das pesquisas e pistas apontam para a Etiópia como o provável local de ocultamento da verdadeira Arca da Aliança.






Alguns teólogos sugerem que o descobrimento da Arca da Aliança, sem dúvidas, é prova cabal da chegada do Anticristo, quando a mesma seria levada para Jerusalém e seria colocada no 3º Templo, onde a falso messias seria adorado. Eu não creio assim.



Colocando de lado as perspectivas dispensacionalistas, o tema é intrigante. Se a Arca da Aliança está oculta em uma pequana igreja na Etiópia, como muitos sugerem, um problema no telhado desta igreja pode dar ao mundo moderno a chance de ver a Arca.



Biblicamente a Arca da Aliança é descrita como o local onde eram guardadas as tábuas dos Dez mandamentos e outros objetos sagrados, como a vara de Arão e um pouco de maná. Ela também servia como um veículo de comunicação entre O Criador e o povo de Israel quando o tabernáculo foi erguido no deserto, explica o livro de Êxodo. Ela foi utilizada pelos hebreus como parte do culto judaico no Templo de Salomão até seu desaparecimento, que acredita-se ter ocorrido durante a conquista de Jerusalém pela Babilônia, no século 6 antes de Cristo.


Segundo a tradição judaica, o profeta Jeremias foi a pessoa responsável por escondê-la. Desde então quase nada se sabe sobre seu paradeiro. A busca pela arca tornou-se “popular” desde a exibição do filme “Indiana Jones e os caçadores da arca perdida” dirigido por Steven Spielberg em 1981.




Existe uma antiga reivindicação dos cristãos ortodoxos da Etiópia que eles guardam a Arca há séculos. Desde 1960 ela, aparentemente, está na capela de cidade de Aksum, apelidada de “a capela das tábuas da lei”, que fica ao lado da igreja Santa Maria de Sião e é cercada de mistérios (foto abaixo




Ninguém está autorizado a ver o objeto sagrado, descrito nas Escrituras como uma caixa de madeira de acácia, revestida de ouro e sobre ela estão dois querubins de ouro. Supostamente, a única pessoa que tem visto a arca nas últimas décadas é um monge idoso e solitário, que se comprometeu a zelar pela Arca durante toda a sua vida. Ele não é autorizado a sair do terreno da capela e ninguém mais pode ter acesso à ela. Porém, essa capela, construída pelo líder etíope Imperador Selassie Hailie, precisou ser coberta por uma lona para impedir que a chuva prejudicasse o tesouro arqueológico. Os danos causados pelas chuvas recentes podem determinar uma mudança drástica.




Pela primeira vez em décadas os religiosos e aventureiros podem ter uma oportunidade de vê-la. Será? O fotógrafo e jornalista britânico Tim Makins, especializado em fotos de viagens para publicações de turismo, visitou a igreja durante uma passagem pela Etiópia meses atrás.

Ele afirma que essa necessidade de moverem a Arca pode ser uma das melhores maneiras de finalmente ficar provado, ou não, que ela está na Etiópia. Tim disse: “Durante a minha visita mais recente à igreja, fiquei surpreso ao ver o terreno ao lado da capela sendo limpo e nivelado por trabalhadores. Há uma grande quantidade de pedras usadas para construção empilhadas nas proximidades.”



Os responsáveis pela construção da lendária capela, na década de 1960, não contavam com as mudanças climáticas na região. O telhado da igreja apresenta alguns vazamentos grandes, que exigem uma reparação integral. Como medida preventiva, uma lona foi colocada sobre o teto da capela, mas para uma reforma completa, o telhado deve ser retirado e reconstruído. Portanto, esse local ao lado seria um “lar temporário” para a Arca. Tim afirma que a construção da nova capela temporária deve levar mais de três meses, segundo as estimativas dos trabalhadores e líderes religiosos com quem ele conversou sobre o assunto.



O fotógrafo comemora a possibilidade de revelar o mundo as primeiras imagens desse tesouro. “Quando o trabalho for concluído, a Arca da Aliança terá de ser levada para esse novo local. Isso muito dificilmente poderá ser feito apenas pelo monge que a guarda. A Bíblia diz que a Arca mede cerca de 1,30 metro de comprimento, 0,80 de largura e 0.80 de altura. É improvável que ela seja carregada apenas por uma pessoa. As Escrituras dizem que existem duas varas que são encaixadas na lateral da Arca para carregá-la e são necessárias duas pessoas (ilustração abaixo).





Caso o fotógrafo Tim Makins esteja certo, dentro de alguns meses a Arca terá de ser retirada da capela e depois que a reforma terminar, ser levada de volta. Ainda que a distância seja pequena, nessas duas oportunidades o mundo poderá esclarecer de maneira definitiva se a tradição etíope sobre o paradeiro da Arca da Aliança realmente é verdadeira.




Será? Qual é sua opinião?



Fonte: Daily Mail, Libertar, em Caixa de Pandora, texto adaptado


http://revavds.blogspot.com.br/2012/06/arca-da-alianca-pode-ser-revelada-sera.html









E quando Deus não cura? – Parte 1/2

Hoje vou falar um pouco sobre mim. Mas por uma boa causa: para poder falar sobre você e sobre por que Deus não cura a sua doença. Por isso peço um pouco de paciência se meus primeiros parágrafos serão muito pessoais, mas você entenderá mais à frente o porquê. Não costumo comentar o assunto que abrirá este post, pois anos atrás fiz uma espécie de pacto não-oficial com Deus de só comentar sobre o tema em questão com Ele e não com as pessoas. Fato é que sofro há 16 anos, desde os 24, com uma doença chamada fibromialgia, que causa dores horríveis no corpo, enrijecimento dos músculos, falta de ar, apatia e outros sintomas complicados. É uma doença terrível que, como disse a atriz Kathleen Turner (que sofre de artrite reumatoide), “não acaba com a sua vida, mas com a sua qualidade de vida”. Fibromialgia é incurável. É do tipo que vai-se levando, suportando e contando com a graça de Deus. Quando me converti, pedia orações a qualquer cristão que encontrasse pelos corredores da igreja, achando que de repente aquele irmãozinho poderia ser o canal da cura que só Deus milagrosamente poderia dar mediante a oração.




Este seria um post muito longo. Então, seguindo o conselho de meu amigo Pr. Renato Vargens (@renatovargens, que teve a paciência de ensinar a este blogueiro com apenas 4 meses de experiência um pouco sobre como blogar melhor), vou dividi-lo em 2 partes, que publico ao longo de dois dias aqui no APENAS.



Fé eu sempre tive. Cria e creio na cura divina, nos milagres. Mas chegou um momento em que percebi que não adiantava ficar aborrecendo os irmãos, me lamuriando, pedindo oração atrás de oração. A minha cura era algo que só Deus poderia dar. Só Ele. Dependia exclusivamente de Sua soberania e de Sua vontade. Nenhum dos mais de 30 médicos a que fui, inclusive no exterior, conseguiu fazer nada. Foi então que, como eu disse, fiz um acordo com Deus de parar de tocar no assunto. A maioria das pessoas com quem passei a conviver de uns 9 ou 8 anos pra cá nem sabe que sofro desse mal. Que, com o perdão do trocadilho, não é mal, é péssimo. Resolvi tocar a vida e conviver com minha inimiga, orando e aguardando com paciência que Jeová Rafá, o Deus que cura, dissesse “basta”. Algo que, até hoje, 16 anos depois, ainda não ocorreu. E estou consciente: talvez nunca ocorra.



Sou obrigado a conviver com despertares com falta de ar, alongamento zero, a impossibilidade de dirigir e fazer ginástica, dores terríveis nas costas ao pegar minha neném no colo e coisas do gênero. Não consigo digitar num computador, pois cada dedo de minha mão doi. Digito segurando duas canetinhas, que chamo de “minhas muletinhas”. Mas isso hoje se tornou apenas um espinho. Estou ciente de que na eternidade, que é o que importa, tudo isso terá passado. É uma breve e momentânea tribulação, que redundará em grande peso de glória.




Sei que tudo o que estou falando pode estar fazendo você pensar “tadinho dele”. Mas… não sinta pena de mim. Sei o que Deus fez em minha vida por intermédio de todo esse sofrimento. Não vou contar tudo aqui, seria um livro. Basta dizer que pelo menos 9 pessoas de minha família foram salvas por Jesus de um modo ou de outro por causa dessa minha doença, por caminhos que você não imagina. Depois que minha inimiga manifestou-se no meu corpo, ainda traduzi 17 livros cristãos, usando um software de ditado vocal, escrevi quatro livros com o velho método de caneta sobre caderno (inclusive os três da coleção Geração Ação e um teológico, ainda não publicado), trabalhei 9 anos em televisão, 3 anos em comunicação empresarial e hoje trabalho junto à denominação em que congrego. Deus tem me dito que “Sua graça me basta” e tem me dado meios e alternativas – assim consegui sobreviver aos meus últimos 16 anos. Mas dói. 24 horas por dia. 7 dias por semana. Dói sem parar. E é neste ponto que quero entrar no assunto da sua doença.




Quando era recém-convertido eu buscava todos os meios na igreja para obter a cura. E sim, confesso, no início eu busquei Deus por puro interesse egoísta, para obter uma cura que a medicina me negava e não porque o amasse. Fato é que eu não o conhecia e por isso me aproximei dele como de um gênio da lâmpada, de forma interesseira. Com o tempo isso mudou. Jesus se revelou a mim. Apresentou-me Seu amor e Sua graça. Me cativou e conquistou. Me justificou. E hoje eu mal penso na doença, embora a sinta, e muito – mas ela é apenas uma companheira incômoda.



Iniciei um périplo em busca da cura divina e, nessa peregrinação, ouvi de tudo. Em círculos de oração me disseram “a oração da fé já foi feita, agora só creia, a cura já foi decretada, você só tem que tomar posse”. Então eu, sem entender esse negócio de “tomar posse”, acreditava naquilo tudo que os irmãos mais experientes na fé me diziam e tentava, me esforçava para ter fé – como se ter fé fosse algo que dependesse de eu apertar os olhos e fazer força. Eu era ignorante nas realidades bíblicas, essa é que é a verdade.



Escutei “Deus já te curou, agora é só esperar os sintomas sumirem”, “você está curado, se a dor aparecer repreeenda porque é o diabo testando sua fé” e montes e montes de explicações que hoje sei que são fruto da doutrina herética da Confissão Positiva (leia mais no post “E se a Teologia da Prosperidade se convertesse ao Espiritismo?“). Bobagens e mais bobagens do ponto de vista bíblico foram ditas a um jovem recém-convertido de 24 anos em desespero porque teve de deixar o emprego de repórter/redator no jornal O Globo porque tinha muitas dores e não conseguia trabalhar. “Vasos” me fizeram beber azeite (que odeio) “ungido”. Tinham visões com “cadeiras de rodas preparadas para mim no inferno”. Mas a vitória era minha, em nome de Jesus!!! E ouvir tudo aquilo me causava enormes dramas na alma, pois eu não entendia! Os irmãos mais antigos, os obreiros, as irmãs “de fogo” e todo mundo falava que eu já estava curado pela oração da fé, que Jesus já levou sobre si todas as nossas enfermidades e agora era só “tomar posse”, que “tudo depende da tua fé” etc etc etc… mas a verdade é que a doença permanecia. E doía, doía e doía.




Entrei em depressão. Um médico chegou a dizer literalmente: “Olha, meu filho, vire cantor de ópera, porque nunca mais você vai poder usar um computador”. Isso para um jovem jornalista em ascenção profissional, que trabalhava no jornal O Globo e usava um computador como instrumento de trabalho. Tive de pedir à minha chefe que me demitisse. Minha barba chegou ao peito. Eu passava o dia deitado na cama. Mal comia. Pesava 55 quilos. Só me levantava para ir ao banheiro e à igreja. Usava luvas de couro nas mãos para limitar os movimentos dos dedos e reduzir a dor neles. Via o olhar impotente nos olhos entristecidos de meus pais. Houve um dia em que tive de decidir: me jogar embaixo do primeiro caminhão que passasse na rua ou continuar vivendo, dia após dia após dia após dia após dia após dia após dia após dia após dia.



E foi então que…



Foi então que resolvi ler a Biblia de Gênesis a Apocalipse. Tempo eu, desempregado e sem perspectivas, tinha de sobra. Tive cinco meses de desemprego para isso. E li. Li a Biblia toda. Pela imersão na Palavra, o Cristianismo passou a fazer sentido para mim. Cristo ganhou contornos. Fui inundado pela vontade de viver, de gerar frutos, de continuar a combater o bom combate. De dedicar a minha vida à causa da Cruz. E chegou o dia em que eu estufei o peito e decidi que não: eu não me atiraria embaixo do caminhão. Pois, na ocasião eu não sabia, mas havia sido tocado por algo chamado GRAÇA.



Fiz a barba. Lavei o rosto. Comi. E comecei ali, em 1997, a ser um cristão de verdade – alguém que, no meio da desgraça, prostra-se, rosto em terra, em adoração, e diz: “Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor ” (Jó 1.21,22). A partir daquele momento, parei de ver Cristo como um personagem e passei a enxergá-lo como uma pessoa. Deixei de buscá-lo por interesse, como o balconista que poderia me dar algo, e comecei a ter intimidade com Ele, a ter uma relação pessoal, de diálogo, de compartilhamento. E fiz o já mencionado pacto não-oficial com Deus: eu pararia de aborrecer as pessoas falando das minhas dores e limitações, dos meus sofrimentos e daquilo que ninguém poderia resolver. A única pessoa com quem eu me queixaria sobre o assunto seria Aquela que tinha capacidade de me livrar daquela desgraça que me assolava: o Deus criador dos céus e da Terra, o autor do universo, o Ser que tudo pode mediante uma palavra. E me calei sobre o assunto com os homens.




Quem me conhece sabe que mal toco nesse assunto. Muito raro. Com Deus, oro todos os dias pedindo a cura. Com os homens, cuja medicina me é inútil, falo sobre outras coisas, de nada adianta murmurar ou me lamuriar – eles nada podem fazer e o olhar de peninha em seus olhos me incomoda sobremaneira. Sem falar que conviver com quem só vive se queixando dos seus problemas é cansativo para quem está ao redor – e não quero ser estorvo para ninguém. E é assim que hoje vivo.



E o que você tem a ver com isso?



Mas… por que decidi contar minha via-crúcis pessoal a milhares de pessoas pelo APENAS? Por que resolvi subverter minha decisão de deixar esse assunto nas sombras? Foi uma decisão difícil, não gosto de tocar nesse assunto nem de me expor. Mas vi uma boa razão. Acredito que as coisas ruins que nos acontecem servem, entre outras coisas, para edificarmos aqueles que passam pelo que nós já passamos. Pois foi quando entrou na minha vida, pela internet, um irmão, que me mandou uma mensagem. Ela tornou-se o estopim para eu escrever este artigo. Vou manter esse irmão anônimo, pois quem ele é não importa para você no que tange a este texto. Reproduzo aqui abaixo ipsis literis suas palavras, enviadas a mim pela internet, e depois vou comentá-las. Espero que, de algum modo, isso venha a edificar você, leitor:



“A paz de Cristo, Mauricio. Antes de mais nada, quero lhe dizer que suas palavras no blog fazem muito bem a minha alma, glorificado seja Deus por isso. Bem, tenho procurado andar no caminho do Senhor há 5 anos, quando me batizei e me tornei membro de uma Comunidade Evangélica aqui da minha cidade. Pois bem, pelo fato de eu ser cadeirante, muitos irmãos acham que estou na igreja para buscar a cura e voltar a andar. Esse tipo de atitude me incomoda muito, pois nunca dirigi nenhuma oração a Deus pra realizar esse milagre, tenho fé e sei que Deus cura, salva, liberta, mas a cura é algo que não busco, me converti unicamente pelo que Deus é. Já expus a minha opinião para algumas pessoas, que argumentam que Deus fez o homem pra ter o corpo perfeito, já ouvi vários absurdos, até mesmo que não tenho fé. Enfim, baseado no poder do Espirito Santo que tá na tua vida, sua sabedoria e conhecimento biblico, estou errado em ter esse tipo de pensamento??

Desde já lhe agradeço.“



Em vez de responder apenas a ele, orei, refleti e decidi me expor e escrever um artigo sobre isso, pela única razão de que sei que há muitos na mesma situação, com doenças diferentes, mas que desejam muito serem curados. E que, assim como eu e esse irmão, ouviram montes de bobagens antibíblicas, baseadas nas ideias da Confissão Positiva proliferadas por hereges como (foto à esquerda) Kenneth Hagin (de novo, se você passou batido pelo link acima, recomendo enfaticamente que leia o post “E se a Teologia da Prosperidade se convertesse ao Espiritismo?” e descubra de onde saíram essas ideias). Bobagens essas que, além das dores em si que sentimos no corpo, geram dores na alma, culpa nos ossos, infelicidade e a nítida sensação de que Deus por Sua vontade já nos teria curado mas, por culpa nossa, da nossa falta de fé, porque erramos uma letra ou uma vírgula numa oração… continuamos doentes.




O resto dessa história e a teologia que explica por que Deus não curou a mim e a você eu continuo a contar amanhã no post “E quando Deus não cura? – Parte 2/2″



Paz a todos vocês que estão em Cristo.
Blog de Maurício Zágari

apenas



Pastor relaciona uso de celular durante o culto a falta de reverência: “banalizaram o serviço cristão”. Leia na íntegra


Celulares e sua maneira de utilização foram tema de um artigo do pastor Renato Vargens, que criticou a distração que o aparelho causa aos fiéis durante o culto.


O pastor da Igreja Cristã da Aliança ressalta as qualidades e facilidades que os celulares smartphones oferecem: “O advento do celular e do smartphone facilitou em muito as nossas pobres vidas mortais. Lembro que há alguns anos, dependendo do local onde estivéssemos, se desejássemos conversar com alguém, ou se precissássemos falar com um familiar em caráter de urgência “estávamos na pista”. Contudo, com o avanço da tecnologia tudo se tornou mais fácil”.



Vargens lembra que apesar dos avanços, muitos fiéis acabam atrapalhando o culto por estarem distraídas com tantas funções: “Tem gente que nem na Igreja desliga o bendito aparelhinho”, e ilustra a história da fiel que começou orando e terminou numa ligação: “Hoje eu fiquei sabendo de um caso no mínimo inusitado, uma irmã entrou no templo de uma igreja e se ajoelhou para orar, quando o celular tocou no silencioso. Ela aproveitou o “embalo” e ficou de joelhos ‘orando’, ou melhor, “com celular no ouvido’ conversando com seu interlecutor”.



Renato Vargens chama a atenção de jovens, adolescentes e fiéis em geral, que não se desconectam das redes sociais: “O que falar então dos adolescentes e jovens que com a desculpa de ler a Bíblia brincam de jogos eletrônicos no celular? O que dizer daqueles que em meio ao sermão, navegam na internet querendo saber o resultado do jogo de seu time de futebol? Ou ainda daqueles que navegam pelas redes sociais, mandando mensagens aos seus amigos virtuais via facebook e twitter?”.



O pastor termina seu artigo recomendando que o momento do culto seja dedicado a Deus: “Lamentavelmente não são poucos aqueles que banalizaram o serviço cristão em detrimento ao celular. Sem sombra de dúvidas o celular é uma bênção, no entanto, quando o utilizamos no horário do culto desrespeitamos àquele a qual deveríamos dedicar nossa adoração. Isto, posto, afirmo que todo aquele que deseja servir ao Senhor e que entende que o culto a Cristo deve ser prestado de todo coração, entendimento e alma, que desligue o celular focando especificamente naquele que é merecedor do nosso louvor e gratidão”, orienta.



Confira abaixo a íntegra do artigo “O uso do celular e a falta de reverência no culto”, do pastor Renato Vargens:



O advento do celular e do smartphone facilitou em muito as nossas pobres vidas mortais. Lembro que há alguns anos, dependendo do local onde estivessemos, se desejássemos conversar com alguém, ou se precisássemos falar com um familiar em caráter de urgência “estávamos na pista”. Contudo, com o avanço da tecnologia tudo se tornou mais fácil não é verdade? Todavia, tem gente que em hipótese alguma não consegue abandonar o celular, dorme com ele, come ele, e até ao banheiro vai com ele.



Pois bem, nessa perspectiva, tem gente que nem na Igreja desliga o bendito aparelhinho.



Hoje eu fiquei sabendo de um caso no mínimo inusitado, uma irmã entrou no templo de uma igreja e se ajoelhou para orar, quando o celular tocou no silencioso. Ela aproveitou o “embalo” e ficou de joelhos “ORANDO”, ou melhor, “COM CELULAR NO OUVIDO” conversando com seu interlecutor.



O que falar então dos adolescentes e jovens que com a desculpa de ler a Bíblia brincam de jogos eletrônicos no celular? O que dizer daqueles que em meio ao sermão, navegam na internet querendo saber o resultado do jogo de seu time de futebol? Ou ainda daqueles que navegam pelas redes sociais, mandando mensagens aos seus amigos virtuais via facebook e twitter?



Caro leitor, lamentavelmente não são poucos aqueles que banalizaram o serviço cristão em detrimento ao celular. Sem sombra de dúvidas o celular é uma bênção, no entanto, quando o utilizamos no horário do culto desrespeitamos àquele a qual deveríamos dedicar nossa adoração.



Isto, posto, afirmo que todo aquele que deseja servir ao Senhor e que entende que o culto a Cristo deve ser prestado de todo coração, entendimento e alma, que desligue o celular focando especificamente naquele que é merecedor do nosso louvor e gratidão.


Pense nisso!

Renato Vargens


Publicado por Tiago Chagas


Fonte: Gospel+




Pastor Marco Feliciano e psicóloga Marisa Lobo debaterão projeto apelidado de “cura gay” em audiência pública na Câmara dos Deputados


Amanhã, 28/06, será realizada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, uma audiência pública para debater o projeto apelidado pela mídia de “cura gay”, com a presença da psicóloga Marisa Lobo, os deputados Marco Feliciano, Roberto de Lucena e João Campos.





O texto do projeto prevê a permissão legal para que psicólogos atendam a pacientes homossexuais que procurarem ajuda com os profissionais da área para reverter sua condição homossexual.






O projeto, de autoria do deputado João Campos (PSDB-GO) prevê a criação de um decreto legislativo que suspenda dois artigos da resolução do Conselho Federal de Psicologia, que define as atividades dos profissionais em psicologia, e proíbe que estes emitam opiniões públicas sobre o assunto, ou abordem a homossexualidade como transtorno.






Para Campos, que é presidente da bancada evangélica, o CFP “extrapolou seu poder regulamentar”, e errou ao “restringir o trabalho dos profissionais e o direito da pessoa de receber orientação profissional”.






O presidente do CFP, Humberto Verona, questiona a legalidade do projeto e tem dúvidas se o decreto, caso aprovado, poderá interferir na autonomia do órgão. Verona afirma que o código de ética foi criado para combater “uma intolerância histórica” contra os homossexuais.






Segundo informações do gabinete do deputado Roberto de Lucena, que é relator do projeto, Verona afirmou que não comparecerá à audiência pública a pedido da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (ABGLT).






O presidente da ABGLT, Toni Reis, enviou carta pública a Humberto Verona, manifestando sua contrariedade com o projeto e solidarizando-se com o Conselho Federal de Psicologia, em sua postura contrária ao projeto.






Em trecho da carta, Reis afirma que a audiência pública a ser realizada amanhã “é uma afronta à ciência, à dignidade humana, aos direitos humanos, à laicidade do Estado e à autonomia do Conselho Federal de Psicologia no que diz respeito às suas deliberações quanto à conduta e à ética profissional, além da composição da maioria dos/das convidados/as da Audiência indicar viés pela predominância do discurso da intolerância religiosa em detrimento dos ideais da democracia igualitária”.






A psicóloga Marisa Lobo afirmou que “o projeto do deputado João Campos tem como objetivo sustar dois artigos (02 e 03) da resolução 01/999, que regulamenta atuação do psicólogo frente a homossexualidade, e não permite e intimida quem busca tratamento para mudar sua condição, sugerindo claramente que se há sofrimento psíquico, deve se a não aceitação social e que, se um homossexual busca ajuda para mudar a condição é por pressão da família ou por causa da religião”






Lobo ressalta que “a psicologia afirma que o homossexualismo não é doença, logo não há como mudar, e ninguém questiona por medo da mídia, que incentiva a divulgação do termo homofobia. Ou seja, quem ousar descordar é acusado de ser homofóbico, contrariando a constituição e a declaração de direitos humanos”.






Confira abaixo, parte do discurso que a psicóloga cristã Marisa Lobo preparou para a audiência pública, e antecipou ao Gospel+:



Se a homossexualidade é ou não uma doença, não existe nenhum consenso sobre este tema na comunidade científica internacional.






Em 1973, baseados em dados empíricos, juntamente com considerações sobre mudanças de normas sociais e também em consequência do desenvolvimento de uma comunidade politicamente ativista gay nos Estados Unidos da América (o National Gay Task Force – Força Tarefa Gay Nacional), o Conselho de Administração da Associação Psiquiátrica Americana decidiu retirar a homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM). Alguns psiquiatras que se opuseram a esta ação posteriormente enviaram uma petição solicitando uma votação sobre a questão por membros da Associação. Essa votação foi realizada em 1974, e a decisão do Conselho de Administração foi ratificada. E, como já dito acima, em 1990 uma resolução também removeu a homossexualidade como transtorno mental da Classificação Internacional de Doenças (CID).






As provas são incontestáveis a remoção da homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (o que se estendeu à CID), se deu por votação, evidenciando assim uma atitude completamente desprovida de substrato fundamental científico. Logo, afirmar que a homossexualidade não é uma doença simplesmente porque um grupo de indivíduos votou a favor de sua remoção do DSM não se constitui em uma afirmação científica. Não se submete a votações aquilo o que já está cientificamente demonstrado, e se assim não ocorreu com a homossexualidade, isto é uma evidência de que a retirada da homossexualidade do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) não se baseou em dados científicos comprovados, mas em um conjunto de fatores que incluiu opiniões, posicionamentos ideológicos, políticos, dentre outros interesses. E como já dito, a ratificação da decisão se deu por votação.






A tal votação se deu em 9 de abril de 1974, e que, aliás, pode ser chamada de qualquer coisa, menos de unânime ou de “evidência científica”. Do total de membros da Associação Psiquiátrica Americana (APA) aptos a votar, apenas 58% deles votou. E o resultado da votação foi o que se segue:






-55% dos membros da APA votaram a favor da remoção da homossexualidade como transtorno mental do DSM. -45% votaram a favor da manutenção do status de transtorno psiquiátrico para a homossexualidade no DSM.






Em se levando em consideração o total de 100% dos membros da APA aptos ao voto, destes somente 32.7% votou a favor da remoção da homossexualidade como transtorno mental do DSM. Ou seja, menos de um terço do total dos membros da Associação Psiquiátrica Americana. E com uma margem de vantagem bastante modesta.






A RETIRADA DO TERMO “DOENÇA” DA CID 10






O Dr. Robert Sptizer foi o psiquiatra que desencadeou a retirada do termo doença atrelado ao homossexualismo da CID-10. Mas, ao revisar os seus posicionamentos, para desespero do movimento gay mundial, ele reconheceu a possibilidade de mudança.






Assim, o Dr. Robert Spitzer estudou 200 casos de pessoas que afirmam ter deixado tanto o comportamento quanto a atração sexual por pessoas do mesmo sexo, e declarou: “Da mesma forma que muitos psiquiatras, eu pensava que alguém pudesse resistir ao comportamento homossexual, mas que ninguém pudesse realmente mudar a orientação sexual. Agora, acredito que isso é falso: algumas pessoas podem mudar e realmente mudam” (SPITZER, 2003, p. 403-417). O Dr. Robert Spitzer declara, ainda, que pessoas suficientemente motivadas conseguem deixar o estilo de vida gay. A pesquisa foi apresentada na Associação de Psiquiatria Americana e publicada logo em seguida. A psicologia no Brasil nega esta fato, finge que ele não existe , ou seja mecanismo de defesa do ego. Freud explica.






“Não existe consenso entre os cientistas a respeito das razões exatas pelas quais um indivíduo desenvolva uma orientação heterossexual, bissexual, gay ou lésbica. Mesmo embora diversas pesquisas tenham examinado as possíveis influências genéticas, hormonais, de desenvolvimento, sociais e culturais sobre a orientação sexual, nenhum achado jamais emergiu a fim de permitir que cientistas concluam que a orientação sexual seja determinada por qualquer fator, ou fatores.” (American Psychological Association. Understanding Sexual Orientation and Gender Identity)






Sendo assim, a asseveração de que “a Ciência atesta que a homossexualidade não é uma doença psiquiátrica” é desprovida de fundamentação científica. E muito mais desprovida ainda de fundamentação é a assertiva de que “a homossexualidade é uma condição natural e normal”, sendo esta última asseveração uma segunda inserção psicológica e sofismática mais do que evidente. A Ciência autêntica não comporta este tipo de malabarismo. -Dr Eduardo Adnet, médico Especialista em Psiquiatria Titulado pela Associação Brasileira de Psiquiatria e Associação Médica Brasileira.






A ciência não é um fim em si mesmo, mas é antes um precioso e poderoso instrumento através do qual inegáveis progressos têm surgido visando o conforto e o bem estar dos seres humanos. Ciência autêntica implica, obrigatoriamente, em imparcialidade e em respeito ao conhecimento legítimo, não deturpado ou deformado por interesses escusos, sejam eles quais forem e procedam de onde quer que seja.






A Homossexualidade é Genética?






Outra argumentação pseudocientífica é a de que a homossexualidade seria genética. Isto jamais foi comprovado. O pesquisador Simon LeVay, que estudou as diferenças no hipotálamo em cérebros de homens homossexuais e heterossexuais atestou:






“É importante observar o que eu não encontrei. Eu não provei que a homossexualidade seja genética, nem tampouco encontrei uma causa genética para a homossexualidade. Eu não demonstrei que homens homossexuais nasçam assim, o erro mais comum que as pessoas cometem quando interpretam meus trabalhos. Nem tampouco localizei nenhum centro gay no cérebro.” (Homosexual Urban Legends, The Series; Traditional Values Coalition).






A OMS não removeu da sua classificação, mudou apenas a nomenclatura. Hoje é chamada atualmente de desordem: http://apps.who.int/classifications/icd10/browse/2010/en#/F60-F69.






O F-64, por exemplo, trata das desordens de identidade de gênero (transexualismo, travestismo de duplo papel, desordem da identidade de gênero em crianças, outras desordens de identidade de gênero e as desordens da identidade não especificadas).






O F-66 trata das desordens comportamentais e psicológicas associadas ao desenvolvimento e orientação sexual (desordem na maturidade sexual, orientação sexual egodistônica, desordens no relacionamento sexual, outras desordens no desenvolvimento psicossexual e desordens no desenvolvimento psicossexual não especificadas).






O F-65, trata das desordens de preferência sexual (fetichismo, travestismo fetichista, exibicionismo, voyeurismo, pedofilia, sadomasoquismo, desordens múltiplas de preferência sexual e outras desordens de preferência sexual). Confiram no próprio site da OMS.

Publicado por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+




Mulher evangélica é alvejada por tiro e é salva pela Bíblia

No Rio de Janeiro, uma mulher foi alvejada por uma bala perdida, porém, foi salva por sua Bíblia que estava no baú da motocicleta de seu marido. Danúbiah Mendes e seu esposo, Marcos Souza, estavam a caminho da igreja quando ouviram três tiros, por volta de 19h40, na Via Dutra. “Eu estava ultrapassando três carros. Quando ouvi o barulho, acelerei mais.”, relatou o Marcos.

O casal só veio descobrir o que aconteceu após o término do culto, quando perceberam que algumas páginas da Bíblia estavam rasgadas e que havia uma bala alojada dentro do livro. O projétil perfurou o baú que fica na parte traseira da moto e foi contido pela Bíblia, por pouco não atingindo Danúbiah.

“Sempre acreditei na salvação em muitos aspectos, mas dessa vez foi uma coisa visual. Vi a bala ali dentro, lembrei dos tiros e chorei”, contou Danúbiah.

O esposo, emocionado, também falou, “A Bíblia salva de muitas maneiras. Dessa vez, foi físico. Algumas folhas de papel salvaram a vida da minha esposa”. Eles ainda relataram que raramente carregam a Bíblia no baú da moto.

Publicado por Valder Damasceno

Fonte: Gospel+

terça-feira, 26 de junho de 2012

As últimas notícias sobre Asia Bibi

Por quase quatro anos, cristãos de todo o mundo têm orado por Aasiya Noreen, também conhecida como Asia Bibi.

Como a primeira mulher a ser condenada à pena de morte pela lei de blasfêmia do Paquistão, ela destaca a situação atual dos direitos humanos e da dignidade no sistema legal deste país.



Seus longos anos de prisão não foram um mar de rosas. Para sua própria segurança, a Portas Abertas no Paquistão, têm sido cautelosa ao dar informações sobre sua situação àqueles que fazem perguntas e querem ajudá-la de alguma forma. Por questões de segurança, sua própria família foi forçada a se esconder, sua vida pessoal foi atingida em todos os sentidos. A unica informação que temos é de que ela continua presa e tem pouco ou nenhum contato com outras pessoas. Quaisquer advogados ou ativistas que se envolvam em seu caso, colocam ainda mais risco à vida de Asia, assim como à sua família.



A Igreja no Paquistão é muito grata aos cristãos ao redor do mundo que fielmente oram por Asia. Enquanto sua situação continua instável, e dois homens (ministros) foram mortos por falar contra a injustiça da lei de blasfêmia, o fato é que ela ainda está viva, e isso é resposta de oração.



Ao longo dos anos a lei de blasfêmia tornou-se cada vez mais perigosa e cruel aos cristãos e outras minorias na República Islâmica. Mais de 4.000 casos de blasfêmia foram registrados pelos tribunais desde 1978.



Aasiya é um caso clássico. Quando as comunidades se cansam dos cristãos em seu meio ou simplesmente quando querem tomar as posses de uma minoria, fazem uma lavagem cerebral sobre os perigos de ter esses 'infiéis' por perto. Uma vez que a acusação de blasfêmia foi realizada e o caso registrado, há pouca esperança de evitar a prisão.



Asia foi, por semanas e meses, torturada emocionalmente e sofreu insultos por parte dos muçulmanos locais. Fontes locais dizem que à Asia foi negada água do poço e a permissão para usufruir dos grãos durante a colheita. Foram esses ataques contra a sua fé que a levaram a questionar o Islã e a defender suas próprias crenças.



Asia não é apenas uma pobre figura atrás das grades. Ela é uma mulher, uma esposa, uma mãe, uma irmã, e uma filha. A igreja que ora por ela precisa se lembrar que ela é uma mulher real, e que tudo o que enfrenta no seu cotidiano é real.



Infelizmente, não há nenhuma "nova" informação sobre o caso Asia Bibi. Ultimamente, uma onda de informações superfíciais tem surgido no Paquistão e no exterior, mas dificilmente qualquer uma delas é confiável. Como as informações não são comprovadas, divulgá-las pode colocar Aasiya em risco, por isso as equipes de campo são cautelosos ao divulgar informações sobre ela.



Embora os políticos e líderes do governo queiram resolver a situação de Asia, uma questão crucial permanece sem resposta: "Quem realmente controla o país"? O presidente, o Primeiro-Ministro ou os membros do Parlamento? Ou os grupos radicais como o Talibã e a Al Qaeda?



No contexto de um país dilacerado pela violência e pelo terrorismo, a história de Asia Bibi passou a representar as necessidades de outros cristãos que buscam justiça e socorro. Sua história mostra à igreja local e à Igreja ao redor do mundo a necessidade de não deixar de orar e de acreditar na libertação de Asia, e de milhões de outros cristãos, que passam pelas mesmas dificuldades.



Pedidos de oração



• Louve a Deus pela vida Asia Bibi, seu testemunho corajoso de não negar a Cristo mesmo na prisão.



• Ore para que, Asia Bibi seja visitada por Jesus dentro da prisão, e que as orações dos irmãos por ela possam fazê-la espiritualmente livre, quebrando as cadeias do isolamento, medo e desesperança, assim como Paulo e Silas experimentaram em Atos 16.



• Ore para que caso de Asia Bibi vai seja usado por Deus de alguma forma, para reverter os esforços de Satanás de intimidar os cristãos do Paquistão, que ao invés disso a fidelidade de Deus se mostre ao Seu povo.



Leia o livro CRISTÃOS SECRETOS e saiba mais sobre o cotidiano de cristãos que vivem em países de maioria muçulmana, como o Paquistão.







FontePortas Abertas



TraduçãoMarcelo Peixoto

“Fala Malafaia”: pastor Silas Malafaia entrevistou ex-travesti que se tornou pastor evangélico. Assista na íntegra



A edição do programa “Fala Malafaia” do último domingo, 24/06, teve como convidado o pastor Joide Miranda, que antes de sua conversão, era travesti na Europa.




Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O pastor Silas Malafaia entrevistou Miranda, que relatou como era sua vida como homossexual e contou seu testemunho de conversão.



O ex-travesti, agora pastor, contou que sua mãe se converteu ao evangelho e passou a evangelizá-lo, afirmando que ele poderia mudar de vida: “Jesus te ama e Deus tem plano e sua vida”, dizia dona Odete, segundo o pastor Joide Miranda.



Atualmente, o pastor Joide Miranda está casado com a missionária Edna Miranda, com quem tem um filho, Pedro. Joide contou que através de seu ministério, tem levado seu testemunho a muitos lugares e ajudado pessoas que desejam abandonar o homossexualismo.



Enoide Miranda ainda explicou a Silas Malafaia que os travestis são procurados para programas por homens, que geralmente querem que a figura afeminada cumpra o papel de homem na relação sexual.



Assista abaixo a íntegra da entrevista do pastor e ex-travesti Joide de Oliveira:







Ministro Marcelo Crivella




Na próxima edição do programa “Fala Malafaia”, o pastor entrevistará o ministro da pesca, Marcelo Crivella, de acordo com informações do Holofote.Net.



Silas Malafaia e Marcelo Crivella falarão de temas como política nacional e internacional, a atuação dos evangélicos em todos os setores no Brasil e no mundo, além de falar sobre as ações do bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus à frente do Ministério da Pesca desde sua nomeação pela presidente Dilma Rousseff.

Publicado por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+












Evangélicos do Paraguai pedem oração pela paz no país

Com o impeachment do presidente Lupo o país passou a sofrer de diversas formas pela pressão política e pela tomada do Estado
Federico Franco, novo presidente do Paraguai.
A Associação de Pastores Evangélicos do Paraguai enviou um comunicado pedindo oração para as igrejas cristãs do país e de todo mundo, para que intercedam pedindo paz, reconciliação e unidade entre todos os paraguaios.

Os recentes problemas políticos estão resultando em uma série de conflitos no país. No texto eles citam a base bíblica de I Timóteo 2:1-5 que pede pela divina direção, proteção e benção de Deus em favor do povo paraguaio e do governo.

“Como ministros de Cristo somos mensageiros permanentes da paz, do amor, do perdão, da amizade, da unidade, da igualdade, da fraternidade, da tolerância, da liberdade, da solidariedade, da reconciliação, da felicidade, do respeito, da cooperação, da honestidade, da humildade, da decência e da fundamental fé em Deus. Pedimos a Deus que estes grandes valores e virtudes reinem em nosso país permanentemente”, diz o comunicado.

O presidente Fernando Lugo foi destituído do cargo na última semana depois de ser julgado e considerado culpado por “mau desempenho”, mas ele pretende resistir ao novo governo.

Diante do caos que tem se instalado no país, a APEP pede oração para que Deus conceda muita sabedoria e inteligência para as autoridades dos três poderes do Estado para que eles encontrem uma solução satisfatória para todo o povo paraguaio.

Com informações Acontecer Cristiano

por Leiliane Roberta Lopes


fonte  http://noticias.gospelprime.com.br/evangelicos-paraguai-fernando-lugo-federico-franco/

Avon confirma retirada de produtos de Silas Malafaia de seu catálogo; Pastor diz que medida era programada


A empresa de cosméticos Avon suspendeu a veiculação dos produtos da Editora Central Gospel de seu catálogo Moda & Casa.



Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

O imbróglio começou meses atrás com a iniciativa de ativistas gays de pedir à empresa que retirasse os livros do pastor Silas Malafaia de seu catálogo, por serem ofensivos à prática homossexual, no ponto de vista deles.



O site A Capa, hospedado no portal Uol, divulgou a informação de que a empresa teria retirado os livros do pastor e outras publicações da editora Central Gospel, de propriedade de Silas Malafaia, de sua lista de produtos.



O pastor reagiu à informação, dizendo que os sites de notícias evangélicos estariam “comendo na mão” dos ativistas gays ao repassar informações sem conferir a fonte e a veracidade dessas notícias, o que poderia acarretar em manchas à imagem de algum pastor ou igreja.



O Gospel+ buscou as informações à respeito da real situação dos livros ligados à Silas Malafaia no catálogo da empresa, numa pesquisa no site da Avon, descobriu-se que o nome da editora Central Gospel não está na lista de empresas parceiras, como fornecedora de livros, e no catálogo atual, não há livros de autoria do pastor sendo oferecidos aos clientes da empresa.



Em nota divulgada no Verdade Gospel, há a informação de que a retirada dos livros é comum e programada, e que há uma Bíblia devocional do pastor sendo oferecida: “O atual livro que está neste catálogo é a Bíblia de leitura diária com devocional, do pastor Silas Malafaia. É importante esclarecer que em algumas quinzenas não sai propaganda do nosso produto. Isto é comum neste catálogo. Temos programação para até o final do ano, portanto, mais uma mentira e safadeza de ativistas gays, o que é bem peculiar do caráter deles”.



A Avon disponibiliza os catálogos para consulta na internet, e na edição atual, os livros já não são encontrados. Numa das edições antigas, que pode ser visualizada neste link, encontram-se dois livros de autoria do pastor Silas Malafaia, “A vontade de Deus e as contradições da vida” e “Pr. Silas Malafaia responde”.



As Bíblias que o catálogo atual oferece são a “Bíblia Ella de estudo conciso”, que é distribuída pela editora Geográfica, e a “Nova Bíblia Viva”, da editora Mundo Cristão.



Em consulta ao telefone 0800-708-2866, o Gospel+ foi informado que os produtos são oferecidos de forma revezada em campanhas promocionais, e não souberam informar quando os livros do pastor Silas Malafaia voltarão ao catálogo, pois isso poderia ocorrer daqui a três ou quatro edições.



Como a Avon não divulgou nota oficial comentando o caso, e em seu site não consta o nome da editora Central Gospel como fornecedora de livros, fica a dúvida sobre a postura da empresa em relação à pressão exercida pelos ativistas gays.

Publicado por Tiago Chagas

Fonte: Gospel+








segunda-feira, 25 de junho de 2012

Léo Moura se batiza em Igreja Batista

O jogador faz parte da Igreja Batista Central da Barra da Tijuca


O jogador Léo Moura se batizou no último dia 23 em uma reunião de batismo realizada pela Igreja Batista Central da Barra da Tijuca em um sítio em Pedra Guaratiba.




Leonardo da Silva, como foi apresentado, estava acompanhado por outras 66 pessoas que tomaram a mesma decisão, aceitando a Cristo como único Senhor e Salvador e de descer às águas.



“Não posso reclamar da minha vida antes da Igreja, mas espero que daqui por diante seja melhor, junto à minha família”, disse o camisa 2 do Gávea que tem 33 anos.



Durante a reunião ele testemunhou aos presentes sobre sua transformação dizendo que não teve uma vida ruim, mas que hoje é muito mais feliz. Ele também conta que duas senhoras chegaram para ele somente para dizer que Deus tinha uma obra a realizar através dele.



“Uma vez, em Brasília, numa tarde de autógrafos num shopping, havia uma fila com mais de mil pessoas. Duas senhoras se aproximaram, e uma falou: ‘Não vim pegar autógrafo ou tirar foto. Vim lhe dizer que Deus tem uma grande obra para a sua vida’. Hoje, tenho certeza que essa obra vai se realizar. Não quero mais largar essa vida”, relembra.





Muito emocionado, o jogador não deixou de mostrar que estava nervoso e ao mesmo tempo bastante feliz com a decisão que tomou. Em seu Twitter Léo Moura postou uma foto dele na piscina acompanhado pelos pastores, um deles é o pastor Emerson Pinheiro.



Com informações O Dia

fonte: http://noticias.gospelprime.com.br/leo-moura-se-batiza-na-igreja-batista-central/







Polícia encontra menina desaparecida em evento da Deus é Amor

Brenda foi encontrada por volta das 17 horas na região da Vila Mariana, em São Paulo

Polícia encontra menina desaparecida em evento da Deus é Amor Foi encontrada Brenda Gabriela, desaparecida durante uma caminhada da igreja Pentecostal Deus é Amor em 10 de junho. A menina estava na companhia de um morador de rua na região da Vila Mariana, e aparentava estar passando frio.


Brenda foi identificada por um policial militar que fazia a ronda na região central de São Paulo.



A mãe de Brenda, a diarista Geissa Maria da Silva, havia espalhado cartazes pelas ruas da Mooca com a imagem da criança. Um retrato falado de um homem que se aproximou da criança durante a passeata foi feito na ocasião pelo irmão de Brenda.



A igreja chegou a fazer uma campanha na internet divulgando a foto de Brenda e pedindo ajuda para encontrar a menina.



Antes de ser encontrada, Brenda foi vista pela última vez no domingo (10), às 23h.



O templo tem capacidade para 36 mil pessoas sentadas, mas tinha o dobro de fiéis por causa da comemoração dos 50 anos da igreja fundada pelo pastor David Miranda

http://noticias.gospelprime.com.br/policia-encontra-brenda-gabriela-desaparecida-em-evento-da-deus-e-amor/





sexta-feira, 22 de junho de 2012

Pastor Silas Malafaia organiza protesto contra o presidente do Irã e pede a libertação de Yousef Nadarkhani. Veja fotos

Publicado por Tiago Chagas
Pastor Silas Malafaia organiza protesto contra o presidente do Irã e pede a libertação de Yousef Nadarkhani. Veja fotosO pastor Silas Malafaia e o Conselho de Pastores do Rio de Janeiro organizaram um protesto contra o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que participou da Conferência da ONU Rio+20.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica GospelA ação ocorreu em frente ao hotel Royal Tulip, no bairro de São Conrado, sob coordenação do pastor Alexandre Isquierdo. Os manifestantes levaram faixas em português e inglês, com dizeres contrários à visita do chefe de estado iraniano.

Nas faixas, haviam os dizeres “Presidente Ahmadinejad, no Brasil, o Islamismo é livre. Faça com que o Cristianismo também seja livre no Irã”; “Presidente

Ahmadinejad, você prega a eliminação do estado democrático de Israel. Você não é bem vindo! O Brasil é um país democrático”; e “Presidente Ahmadinejad, liberte o pastor Yousef Nadarkhani! Liberdade religiosa no Irã já!”.

Os protestos tinham também transcrições das frases acima para o inglês, com a intenção de que a manifestação fosse entendida pelo presidente iraniano e repercutida nos órgãos de imprensa internacionais.

Silas Malafaia não compareceu ao evento, pois segundo informação de seu site, estava cumprindo agenda em Joinville, Santa Catarina. Malafaia comentou o resultado da manifestação: “Este é um meio legal e pacífico do exercício da nossa cidadania”, afirmou.

A repercussão aqui no Brasil atraiu atenção de jornalistas ligados à revista Veja, que publicou informações a respeito. O jornalista Reinaldo Azevedo publicou matéria defendendo a iniciativa: “Fizeram muito bem! O facinoroso veio para o encontro da ‘Rio+20’ e, como vocês viram, tentou dar lições de moral e humanismo ao mundo”, escreveu.

Já a coluna Radar Online, comandada por Lauro Jardim, divulgou informação de que o pastor Silas Malafaia e outros onze pastores assinaram uma carta pedindo a libertação do pastor Yousef Nadarkhani.

De acordo com Jardim, Malafaia teria entregue essa carta ao vice-presidente da República, Michel Temer, que teria repassado o documento ao presidente Ahmadinejad.

Malafaia comentou em seu site a repercussão das iniciativas pela libertação do pastor Yousef Nadarkhani: “Durante muito tempo o povo de Deus se alienou das questões sociais. Quando Jesus declarou ‘dai a César o que é de César e dai a Deus o que é de Deus’, Ele estava afirmando a nossa responsabilidade com a cidadania terrena e espiritual. [...]Fique atento a todos os comentários em revistas e jornais que envolvam a nossa comunidade e nossos princípios de fé… Emita opinião! A imprensa respeita aqueles que se posicionam!”, constatou.

Confira abaixo fotos da manifestação organizada pelo pastor Silas Malafaia contra o presidente do Irã:







Fonte: Gospel+