sábado, 5 de janeiro de 2013

Angola abre inquérito para apurar mortes em vigília da Igreja Universal

A quantidade de fiéis superou o número suportado no estádio gerando tumulto, 16 pessoas morreram e mais de 120 ficaram feridas.

Por Leiliane Roberta Lopes


Angola abre inquérito para apurar mortes em vigília da Igreja UniversalAngola abre inquérito para apurar mortes em vigília da Igreja Universal
Uma investigação policial foi aberta para apurar o que levou a morte de 16 pessoas durante a vigília da virada que aconteceu no estádio da Cidadela Desportiva, em Luanda, no dia 31 de dezembro.
O evento organizado pela Igreja Universal do Reino de Deusreuniu milhares de pessoas, superando a expectativa dos organizadores e superando o limite de pessoas que cabiam dentro do estádio.
O Ministério do Interior (MININT) solicitou que a Polícia de Investigação Criminal abra este inquérito para entender o que de fato aconteceu e punir os culpados.
Em um comunicado enviado à imprensa, o MININT esclarece que ao serem comunicados sobre o grande evento o governo disponibilizou o Comando Provincial da Polícia e o Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiro, mas a IURD acabou dispensando este serviço dizendo que havia recrutado 300 pessoas para cuidarem da segurança interna do evento.
Sendo assim a polícia local ficou apenas guardando o lado externo do estádio Cidadela. Ao que parece a confusão se deu por conta da quantidade de pessoas que ficaram pro lado de fora, já que rapidamente o estádio foi lotado por fiéis. A multidão queria entrar para participar do culto da virada e forçou a entrada no estádio causando o tumulto.
Atraídas pela promessa do fim de doenças, inveja, feitiçaria, dívidas, miséria e outras, milhares de pessoas não só de Luanda, mas de outras províncias se dirigiram para a capital da Angola.
Assim que o bispo iniciou o culto essas pessoas tentaram entrar empurrando uns aos outros, o que causou quedas, asfixias, pânico e desmaios. O resultado disso foi a morte de 16 pessoas e mais de 120 feridos que tiveram que ser levados para os hospitais da região. As informações são do Portal Angop.

Nenhum comentário:

Postar um comentário