sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Entidade cristã protesta contra Lady Gaga por incentivar jovens a se declararem homossexuais


Entidade cristã protesta contra Lady Gaga por incentivar jovens a se declararem homossexuaisUma organização cristã chamada Florida Family Association (FFA) iniciou uma campanha contra as iniciativas da cantora Lady Gaga de promover o encorajamento para jovens homossexuais assumam sua condição perante suas famílias e sociedade.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica GospelA cantora tem promovido uma iniciativa chamada Born This Way (em tradução livre, nascido desse jeito), que também é o título de seu mais recente CD. A campanha de Lady Gaga usa um ônibus em sua turnê oferecendo aconselhamento e entretenimento para jovens de até 25 anos que se declaram homossexuais, mas não tem coragem de assumir a condição perante os familiares.

A FFA protestou contra o projeto da cantora durante os preparativos para um show dela na cidade de Tacoma, Washington. A organização contratou um avião para sobrevoar o local do show com uma faixa onde havia a inscrição “Not Born This Way” (Você não nasceu assim).

Segundo informações do TN Online, a FFA pretende fazer novas manifestações nos próximos shows da turnê da cantora, e declarou “guerra” ao “apoio e incentivo aos fãs para assumirem que são gays”.

A organização iniciou ainda uma campanha na internet para arrecadar aproximadamente US$ 2 mil e custear a locação do avião, visando os novos protestos nos próximos shows de Lady Gaga.

A cantora justifica a iniciativa afirmando que por ter sido vítima de bullying na infância e adolescência, quer oferecer ajuda a pessoas nas mesmas situações: “Lancei o disco Born This Way, e resultou em um influxo intenso de diálogo e de conversas com as pessoas. Recebi cartas, e-mails, mensagens de texto, pelo Twitter… dizendo: ‘Eu quero ajudar. Quero ser corajoso. Quero que haja mais tolerância no universo. Quero que haja mais aceitação’. Percebi que o que mais desejo é que esse diálogo nunca chegue ao fim”.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário