quarta-feira, 20 de março de 2013

O pesadelo árabe e os milagres de Deus na vida de cristãos sírios

Segundo informações das Nações Unidas, durante os últimos dois anos de violência brutal na Síria, mais de 70 mil pessoas morreram. A cada dia o número de vítimas deste conflito se multiplica significativamente. Inseridos no contexto da guerra civil que assola o país, muitos cristãos são perseguidos por causa de sua fé

Syria-Homs.jpg

"A violência na Síria continua a aumentar e os cristãos têm se tornado alvo de muitos extremistas", revela Katia, uma cristã síria. "Há alguns anos, era possível notar, pelas ruas das cidades, muitas características tradicionais das comemorações do Natal, como fazem os cristãos em outras partes do mundo. Gostávamos de mostrar a nossa árvore de Natal na janela, tínhamos um culto natalino na manhã do nascimento de Jesus e compartilhávamos a história do Natal com várias pessoas depois. No ano passado, porém, se alguém teve a sorte de ter uma árvore de Natal, não pôde exibi-la na janela de sua casa, já que não era seguro atrair a atenção de extremistas e intolerantes religiosos para dentro de suas casas. Além disso, para evitar grandes aglomerações, os cristãos tiveram de reunir-se por um curto período de tempo para o culto de Natal."



Quando a Primavera Árabe teve início, a crise na Síria ainda não estava tão abrangente e intensa como está hoje. Entretanto, com o passar dos meses e o aumento da violência, muitos sírios passaram a se referir à Primavera Árabe como o pesadelo árabe. Há mais conflitos este ano do que no ano passado porque as áreas cristãs têm sido constantemente atacadas de maneira brutal. Em uma cidade, por exemplo, todos os cristãos perderam suas casas e tiveram de enfrentar as demais circunstâncias extremas da guerra sem qualquer abrigo. Alguns tiveram armas apontadas para suas cabeças e foram ameaçados para que saíssem do país. Outros foram sequestrados ou, até mesmo, violentados sexualmente.

"Eu não quero generalizar, nem confundir os rebeldes com os extremistas, ou muçulmanos com muçulmanos extremistas", disse Katia. "Inicialmente, esta revolução teve apenas um motivo: protestar contra o regime. Mas, hoje, muitos extremistas se misturaram àqueles que saem às ruas por motivos justos. Esses extremistas têm uma meta muito clara: espalhar o Islã por todo o país. A maioria dos cristãos tem feito questão de manter-se neutra com a crise política na Síria. No entanto, alguns extremistas forçam situações para mostrar que os cristãos se alinharam com o regime em vigor, o que dá a alguns movimentos rebeldes extremistas uma desculpa para lançar carros-bomba em áreas cristãs", explicou ela.

Apesar da violência e da forte perseguição, Deus está permitindo o acontecimento de muitos milagres na Síria!

"Muitos cristãos fugiram do país por causa da violência. Mas muitos permaneceram porque sentiram que Deus os chamou para ficar e ajudar as pessoas em um momento como este. Deus tem realizado coisas maravilhosas e de uma maneira poderosa! As igrejas têm servido de abrigo, onde é possível encontrar água e comida tanto para cristãos, como para não cristãos. Muitas vezes, durante a distribuição do auxílio, há um sermão e um convite para quem deseja aceitar a Jesus. Muitos entregaram sua vida a Cristo através deste ministério. Um homem em particular que recorreu a uma dessas igrejas parecia ser um extremista muçulmano. Ele gritava declarações típicas de fanáticos religiosos, o que fez com que muitos se sentissem pouco à vontade no ambiente, de modo que os líderes da igreja ficaram de olho nele. No final do culto, porém, este homem aceitou a Cristo como seu Salvador! Ele que, inicialmente parecia ser uma ameaça, agora é um irmão em Cristo!", narrou Katia.

Muitas igrejas não têm recursos para doar, mas ajudam no que podem. Igrejas e denominações, que antes eram divididas, se uniram em oração pelo povo da Síria. Este ano, cristãos pensaram em alcançar os sírios através de dois presentes que mudaram a vida das crianças: uma muda de roupas e uma Bíblia infantil.
"As igrejas estavam buscando uma solução eficaz para encorajar as crianças da Síria durante este tempo", contou Katia. "Nos meses de inverno, elas precisavam de algo quente para vestir, por isso, todas as crianças que foram à igreja ganharam uma blusa de frio e uma Bíblia infantil: um presente fundamental para que elas alcancem outras pessoas, que não conhecem a Cristo. Ore para que os presentes que a Igreja distribuiu sejam uma bênção para aqueles que receberam.
"
Katia também pede orações pela segurança e o fortalecimento dos cristãos que escolheram permanecer na Síria. Interceda por eles; peça para que Deus não só os proteja, mas também lhes dê da Sua força, da Sua paz e do Seu amor, que nunca falha
FontePortas Abertas USA
TraduçãoAna Luíza Vastag


Nenhum comentário:

Postar um comentário