terça-feira, 12 de março de 2013

Reunião em Porto Alegre vai discutir futuro do Hospital de Caridade


Foto: Diego Vilela
UTI neonatal do município será um dos assuntos da reunião

Coordenador regional da saúde, Milton Martins, afirma que, se necessário, abrirá uma discussão sobre a gestão do hospital

Está marcada para quarta-feira (13), em Porto Alegre, uma reunião do coordenador regional de saúde, Milton Martins e a Secretaria de Saúde, para discutir o funcionamento do Hospital de Caridade de Canguçu. A informação foi dada por Milton Martins em entrevista para a Radio Liberdade AM na manhã desta segunda-feira (11). Além dele, também estarão no encontro o secretário Ciro Simoni, a deputada Miriam Marroni e representantes da gestão municipal.

Um dos assuntos será a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) neonatal do local. Segundo o coordenador, existia incentivo estadual para a infraestrutura e a contratação de uma equipe especializada para a unidade. No entanto, o contrato foi rescindido por não ter chegado a altura do cumprimento. Milton afirma ainda que existe uma necessidade de UTIs Neonatais no Rio Grande do Sul, e por isso, é preciso decidir o futuro da unidade de Canguçu:

- Ou ela terá que funcionar, ou teremos que dar um destino público para os equipamentos. Não podemos adiar eternamente o assunto do funcionamento da UTI - explica.

Ele também explicou que existe um contrato do estado com o hospital de Canguçu, que venceu em dezembro de 2012, onde estavam contratados anestesistas, plantões médicos com ginecologista e obstetra, pediatria e serviços de atendimento médico no Pronto Socorro, em um desembolso mensal de R$ 99,700 mil. Milton reconhece que o hospital precisa deste contrato, mas ressalta que ele deve ser cumprido de maneira correta, já que a opinião no município é de que o atendimento do local precisa melhorar:

- Seguidamente somos pegos de surpresa, porque há uma indisposição de um determinado médico que não quer cumprir o plantão. Então o contrato tem que ser preto no branco. De um lado está quem paga, de outro está quem cumpre, e nós não iremos abrir mão disso. Por isso vamos a Porto Alegre, tirar uma decisão política. Nós precisamos do hospital funcionando a pleno para o povo de Canguçu. E se tivermos que abrir uma discussão sobre a gestão do hospital, ela vai ser aberta.

O coordenador não acredita que saia uma decisão definitiva na quarta-feira, mas que deva ser dada uma diretriz sobre o assunto. Na quinta-feira, ele também estará em reunião na capital, para discutir a situação do hospital de Rio Grande.

Fonte: Canguçu online
http://www.cangucuonline.com.br/index.php?menu=noticia&categoria=8&noticia=5945



Nenhum comentário:

Postar um comentário