domingo, 7 de abril de 2013

Deputado Marco Feliciano recebe diploma de Defensor dos Direitos Humano



Deputado Marco Feliciano recebe diploma de Defensor dos Direitos Humanos
Deputado Marco Feliciano recebe diploma de Defensor dos Direitos Humanos
Deputado Marco Feliciano recebe diploma de Defensor dos Direitos Humanos. Nesta quinta-feira, em Salvador, Marco Feliciano também foi agraciado com um diploma de “defensor dos Direitos Humanos”, conforme postou em seu Twitter. O diploma foi entregue pela Federação Brasileira de Defesa dos Direitos Humanos (FBDDH), sediada em Salvador.

“Fiquei emocionado ao ser homenageado pela Federação Brasileira de Defesa dos Direitos Humanos. A Deus toda glória!”, escreveu no microblog.

O documento é assinado pelo diretor presidente da instituição, Elizeu Fagundes Rosa. Informa: que Marco Feliciano “passa a gozar de todas as prerrogativas inerentes ao cargo, respaldado pela Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU, na Resolução 53/144, de 09 de dezembro de 1998, e protegido pelo decreto 6.044/07”.
Deputado Marco Feliciano recebe diploma de Defensor dos Direitos Humanos
                                        Diploma de Defensor dos Direitos Humanos

Na noite desta quinta-feira, o deputado fez presença em um culto realizado na Bahia. O evento foi promovido na Igreja Batista Avivamento Profético. Manifestantes a favor e contra Feliciano estavam do lado de fora do templo religioso.

O pastor Marco Feliciano entrou pela porta lateral para evitar os jornalitas e os manifestantes. Além de seguranças, quatro equipes da Polícia Militar garantiram a segurança na igreja.

O pastor era o convidado especial do 20º Congresso do Poder e Impacto do Espírito Santo. “Pense em um homem que não sabe bater, mas sabe apanhar. Eu sempre suportei o peso, desde criança enfrentei”, falou Marco Feliciano durante a pregação. “Todo esse sofrimento é apenas uma atribulação”, complementou.

Os cristãos portavam cartazes com declarações como “Varão escolhido do senhor, tu és forte, e vivo em Jesus Cristo”. “Acho isso uma pouca vergonha, eles estão quebrando a Constituição. Nós temos direito a culto e tem um pequeno grupo querendo tumultuar. Feliciano é um homem preparado para assumir a comissão. Ele não é homofóbico ou racista. Ele pregou a palavra de Deus que está na Bíblia”, declarou Francisca Elza ao G1.

Enquanto os cristãos defendiam o pastor na parte externa, um grupo LGBT gritava em protesto. “A Bahia não quer você, chega de preconceito”, falavam segundo informou o G1. “Sai, sai, do meu caminho. Eu ando com Jesus e Feliciano anda sozinho”, cantavam os militantes gays parodiando músicas evagélicas, segundo o jornal A Tarde.* Informações The Christian Post

Nenhum comentário:

Postar um comentário