domingo, 14 de abril de 2013

Pastor Marco Feliciano propõe acordo com liderança de ativistas gays para permitir funcionamento da CDHM

Pastor Marco Feliciano propõe acordo com liderança de ativistas gays para permitir funcionamento da CDHM
O pastor Marco Feliciano (PSC-SP) tenta contornar a longa crise política e social que sua eleição à presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) abriu na Câmara dos Deputados e sociedade como um todo.
Feliciano afirmou, em entrevista ao Estadão, que propôs ao presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (ABGLT), Toni Reis, um acordo para negociações.
“Ontem (quarta-feira) falei com um dos líderes do movimento LGBT, o Toni Reis. Eu falei: Toni, vamos conversar, vamos criar uma ponte, me coloquei à disposição deles. Ele falou que vai pensar em alguma coisa. Tomara que Deus o ilumine”, disse o pastor.
Procurado pela reportagem do Estadão, Toni Reis afirmou que não há como negociar ou dialogar com Feliciano: “Não somos ingênuos. Não tem como negociar com quem te chama de podre”, disse, ressaltando que mantém a postura de cobrar a renúncia do pastor.
Alheio à postura de Toni Reis, Feliciano foi questionado sobre uma eventual candidatura à presidência da República, e negou que vá concorrer em 2014: “Não tenho estrutura para isso. Deputado está bom para mim, agora. Quem sabe no futuro…”, despistou o pastor.
Porém, o PSC trabalha com a exposição do pastor e do próprio partido na mídia, para capitalizar votos, e lançar candidatura própria à presidência em 2014.
Os líderes do partido acreditam que Feliciano pode chegar a um milhão de votos nas próximas eleições, o que ajudaria o partido a eleger mais deputados e também a fortalecer a candidatura própria ao planalto.
De acordo com informações do site Último Segundo, do portal IG, o pastor Everaldo Pereira (SP) seria um dos nomes mais fortes dentro do partido para ser indicado ao cargo.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário