sábado, 17 de agosto de 2013

Polícia Civil aponta que bebê ainda estava vivo quando teve contato com cães


Foto: Xiru Gonçalves
Policiais impediram a aproximação de curiosos. Corpo foi coberto com uma toalha até a chegada da perícia técnica
Atualizada às 10h16, em 17 de agosto:
Investigadores tentam agora descobrir responsável pelo crime que chocou o município

A Polícia Civil divulgou novas informações sobre a perícia técnica realizada no corpo de um bebê encontrado na Vila Nova. Segundo o laudo, o recém-nascido ainda estava vivo quando foi atacado por cães na tarde de quinta-feira (15). O caso provocou revolta na população.

Devido às lesões provocadas pelos animais, não foi possível determinar se o bebê era menino ou menina. A polícia trabalha agora na tentativa de identificar a autoria do crime. De acordo com o chefe do setor de investigação, inspetor Leonardo Garcia, existe a possibilidade de que a mãe procure outros hospitais da região para não levantar suspeitas.

– Pedimos aos hospitais que fiquem atentos. Ela pode precisar de atendimento médico devido às condições do parto, um curativo, um medicamento, enfim... – adverte o investigador.

Relembre o caso

Moradores da Estrada da Pedreira, na Vila Nova, encontraram o corpo de um bebê no final da tarde desta quinta-feira (15). Fábio Quintana foi uma das primeiras pessoas que chegou ao local. Segundo ele, havia cachorros junto ao corpo, o que chamou sua atenção.

- Percebi que havia uma criança abandonada... uma coisa lamentável. Os cachorros já tinham comido uma perna ou um bracinho - relatou.

O morador comunicou funcionários da prefeitura e espantou os cães do local. Depois, a Brigada Militar foi chamada e impediu a aproximação de curiosos. Apesar de o corpo ter sido coberto com uma toalha, o sentimento da população local era de pavor.

- Quando eu vi a cabecinha da criança, achei que não iria aguentar. Fiquei apavorado, comecei a chorar. Com a idade que eu tenho, nunca tinha visto nada igual. Uma mãe abandonar um filho para os cachorros comerem? O coração da gente não aguenta - disse, emocionada, uma moradora.

A Polícia Civil compareceu ao local e ouviu algumas pessoas. Dados como a idade do bebê e as circunstâncias da morte somente serão apurados após a perícia técnica. De acordo com moradores, a residência número 152, onde o corpo foi encontrado, não tinha moradores atualmente.

O bebê estava próximo a uma das paredes laterais do imóvel, localizado numa esquina, na Estrada da Pedreira.

* com informações de Nael Rosa, do blog Eu Falei


Nenhum comentário:

Postar um comentário