sábado, 19 de outubro de 2013

[PAUL WASHER] O Contexto Atual da Igreja

A todos que de alguma forma participam da Igreja, que se dizem Igreja, que vão à Igreja... Recomendo a leitura deste texto... É a compilação de 22 minutos de um sermão de Paul Washer, pregado em Portugal, sobre o  Contexto Atual da Igreja.

---

Paul Washer na Conferência Fiel em Portugal - O Verdadeiro Evangelho

---

"Muitos anos atrás quando eu era um jovem pregador, eu estava trabalhando no campo missionário e trabalhando com todo o meu coração e alma. Um evangélico típico.
Mas em quase tudo que eu fazia, havia alguma coisa em errada. Eu sentia que quando eu ia as ruas e pregava, mesmo quando eu era sincero, o evangelho que eu pregava era superficial.
Eu também sentia que a maneira que eu lidava com as pessoas e com a salvação delas, também era de alguma forma superficial.
Eu comecei a olhar para as coisas que fazíamos na igreja: programas, metodologias, etc. Parecia que a cada 3 anos alguém tinha uma ideia nova de "como fazer igreja".

Eu comecei a ler as escrituras. De Gênesis à Apocalipse. Vez após vez. Tomando notas. Nota após nota, e a medida que eu fazia isso, minha doutrina sobre Deus começou a mudar; minha doutrina sobre o homem começou a mudar. Eu comecei a tremer quando eu pensava sobre Deus. Eu comecei a ver a depravação radical do homem. Eu comecei a olhar a Igreja dos primeiros séculos, no livro de Atos, parecia tão simples e ao mesmo tempo tão poderosa. E a pregação daqueles homens!!!
Então comecei a ter convicções profundas que haviam muitas coisas erradas.
E todas essas coisas eram resultado de apenas: MÁ TEOLOGIA. Não saber o que a bíblia diz. Ensinar clichês ao invés da Bíblia em si. Construir igrejas sobre aquilo que o último livro da biblioteca diz.

Se souber alguma coisa de Hermenêutica (Como estudar/interpretar a bíblia), reflita nisso...
Só porque nós interpretamos a bíblia de uma forma, não quer dizer que estamos certos, pois qualquer um de nós poderá fazer uma interpretação errônea.
Mas há um princípio na hermenêutica que é importantíssimo: Nós como cristãos, devemos fazer teologia no contexto da Igreja. E no contexto da Igreja, quer dizer, no contexto de 2000 anos de Igreja! Isso significa que quando eu interpreto um versículo de uma determinada forma, eu preciso me perguntar: "Alguém já interpretou dessa forma?" Por que se ninguém o fez, eu provavelmente estou errado.
É da mesma forma com a doutrina. Se eu formar uma doutrina do meu estudo da bíblia, eu preciso pegar o que eu formei, e comparar com 2000 anos de história da Igreja. Se todos os teólogos de 2000 anos de Igreja concordavam em algo, mas o que eu aprendi está em discordância com o que eles pregavam, provavelmente eu estou errado.

Mas na nossa cultura o resultado é que todos nós somos produtos dela.
Se eu for interpretar a bíblia, ou formar uma doutrina, uma prática, e olhar para todos os outros cristãos ao meu redor, igrejas ao meu redor, e todas elas estão em concordância comigo, isto NÃO significa que eu estou certo, porque nós fomos tão infectados pela nossa cultura que isso distorceu os fatos.
É a mesma forma com a Igreja.
Só porque a nossa igreja é igual a qualquer outra Igreja, não quer dizer que esteja certo. Todo o Brasil pode estar errado.

Entendam: Paulo disse a Igreja de Corinto isto: você julga a ti mesmo, por ti mesmo! E isto não é sábio.

E esse é um dos grandes problemas no evangelicalismo moderno.
Nós nos comparamos por nós mesmos. Temos a nossa visão de Deus, logo, como todos os outros, nós devemos estar certos. A forma que fazemos igreja: todo mundo faz assim, então deve estar certo.
A forma que fazemos evangelismo: todos usam estes métodos, então deve estar certo. NÃO!!!

Se tomarmos o evangelicalismo moderno, e compararmos com o evangelicalismo primitivo, veremos GRANDES diferenças.
Muitos já devem ter lido TOZER. Se você ver a visão que Tozer tinha de DEUS e comparar com o evangelicalismo moderno, não há similaridade. A grande maioria disse que SPURGEON é o melhor pregador que viveu depois dos apóstolos. Ele era um grande pregador. O Evangelho que ele pregava é quase que totalmente diferente do que é pregado hoje.
Se seguir assim, na forma que está, a Igreja ruma à morte. Vamos voltar à época de um dos nossos comentaristas preferidos: Matthew Henry: ele não reconheceria como Igreja o que temos hoje.

O ponto que estou tentando dizer é: se nos compararmos com a história da igreja, se compararmos a nossa teologia, nossas igrejas, nossa devoção pessoal em piedade, chegaremos numa conclusão: nossos "pais na fé" não nos reconheceriam.

Muitas das coisas que ensino e prego eu encontro nas escrituras através de exegeses diárias, mas também através de comparação do que eu estudo com a história da igreja. Aprendendo com os evangélicos primitivos. Os puritanos. Os reformados.

Sabe o que reconhecemos em todos eles? UMA VISÃO ALTA, EXTREMA, DE DEUS. Uma REVERÊNCIA EM RELAÇÃO A DEUS Fantástica!

A Respeito da Adoração!
As vezes pergunto aos líderes de louvores isto, e é por essa razão que a maioria deles me odeia:
"És um líder de louvor? Me diz o que encontras quando lês de Gênesis ao Apocalipse, sobre o tipo de louvor que Deus requer? Já fizesse isso?"
Nunca encontrei alguém que dissesse que sim! "Ahhhh, mas todos fazem assim, por isso nós também fazemos", me respondem. Eu sempre lembro eles disso: Em Levítico 10 Deus matou dois adoradores. Cuidado.

A Respeito dos Pregadores e da Família!
Eu poderia dizer a mesma coisa sobre nós pregadores. A forma que fazemos Igreja. A forma que gerimos nossas famílias. Se formos ler, e vermos como os puritanos geriam a sua vida familiar... Você sabia que nas igrejas daquela época, Matthew Henry, Phillip Henry... se um pai não discipulasse um filho, ele seria publicamente disciplinado na igreja? Quantos pais discipulam e catequizam seus filhos?

Vamos dizer que todos nós somos uma igreja.
Quantos aqui, maridos, estão a discipular suas esposas? Seus filhos? De forma consistente e com propósito.
Reunir-se com eles, ler as escrituras, orar com eles... Quantos fazem isso?

Agora, vamos dizer que eu sou um novo pastor, recém chegado na igreja, e eu vejo isso e tomo a seguinte decisão:
-Isto é o que vamos fazer: vamos cancelar todos os grupos de mulheres; vamos cancelar todas as atividades de jovens; vamos cancelar tudo que tem a ver com escola dominical e coisas com crianças.
Não é uma coisa engraçada, quero que você pense!
Você provavelmente iria pedir pra me tirarem como pastor. Vocês iriam reclamar para a convenção e a todos possíveis.
Este tal pastor aí, odeia as mulheres, odeia as crianças, odeia os jovens, odeia todas estas almas preciosas.

Sabe qual seria  a minha resposta a vocês?
Pelo amor das vossas tradições, VOCÊS ANULARAM OS MANDAMENTOS DE DEUS.
Vocês amaram as suas tradições, feitas por homens, e desobedecem mandamentos diretos feitos por Deus, na BÍBLIA!

Vocês até riem quando eu pergunto: quantos homens discipulam as suas esposas? Vocês riem porque não fazem isso!

Isso é um mandamento DIRETO de Deus para a Igreja do Novo Testamento. E você rir do fato é sinal que não está a fazer. É um mandamento para Israel e para a Igreja do Novo Testamento que cada Pai discipule as suas crianças!

VOCÊ NÃO FICA COM RAIVA POR ESTAR DESOBEDECENDO OS MANDAMENTOS DIRETOS DE DEUS, mas você ficaria com raiva por eu estar desobedecendo as suas tradições.

Sabem o que é escola dominical na igreja? Sabe o que é grupos de mulheres? Sabe o que é os grupos de jovens na igreja? Basicamente os pais estão a viver em desobediência diante de Deus, e em função disto pedem ao pastor para fazer aquilo que é a função deles em casa!

Você vê porque é necessário ficar fora da nossa cultura e olhar para a Bíblia de novo? Não sou contra ministérios de crianças, mulheres, jovens.. não! Mas quando estas coisas existem porque os chefes das famílias estão a viver em desobediência à Deus, é sinal que as coisas estão erradas.

Eu disse o que disse, da forma que disse, porque quero ter um impacto. Quero que você preste atenção!

É OU NÃO VERDADE, QUE SOMOS ORDENADOS A FAZER ESTAS COISAS E NÃO FAZEMOS?
Mas fazemos o contrário: construímos tradições para tomar o lugar dos mandamentos de Deus, e quanto mais temos estas tradições na igreja, mais bíblicos pensamos que somos.
Ora, mulheres e filhos não discipuladas pelo chefe da família, o Pai.. são deixadas sem direção espiritual pelo chefe da família.

Quando realmente começarmos a estudar as escrituras e compararmos as nossas interpretações e tradições com a Bíblia, com a História de 2000 anos de Igreja, veremos porque o evangelicalismo moderno é tão fraco!

Quase todos os avivamentos que aconteceram, na reforma, desde a Imprensa de Gutemberg, tem envolvido a redescoberta da Verdade Bíblica; a redescoberta DESTAS verdades bíblicas.

O que eu quero de vocês?
Eu gostaria que vocês pastores, líderes, examinem CADA COISA que você tem feito na igreja à luz das escrituras, à luz de 2000 anos de Igreja. Eu gostaria que você começasse a ler Martyn Loyd-Jones, Spurgeon, Jonathan Edwards, A. W. Tozer, John Owen, Os Reformadores, e começasse a compreender que, se realmente haver um avivamento de Deus nesta nação, seja um avivamento Bíblico!

Têm tantas coisas sendo feitas em nome de Deus, de Cristo, mas NÃO SÃO BÍBLICAS, não são históricas! Nós precisamos não apenas 'avivamento', precisamos de uma reformação, de uma reforma!

Nenhum comentário:

Postar um comentário