quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

“Aula” de homens-bomba anticristãos dá errada e explode turma

Treinamento sobre ataques suicida mata 22 e fere 15 Uma notícia inusitada chamou atenção nesta semana no Oriente Médio. Muçulmanos..
“Aula” de homens-bomba anticristãos dá errada e explode turma“Professor” de homens-bomba anticristãos explode turma por engano
Treinamento sobre ataques suicida mata 22 e fere 15
Uma notícia inusitada chamou atenção nesta semana no Oriente Médio. Muçulmanos extremistas, do ramo sunita, pertencentes a um grupo conhecido como Estado Islâmico do Iraque e da Síria (Isis na sigla original), faziam um trinamentos sobre ataques suicidas quando por acidente o professor detonou seu cinturão que estava cheio de explosivos.
Ao todo, 22 membros do Isis foram mortos e 15 ficaram feridos na explosão que ocorreu no acampamento usado pelos extremistas, localizado em uma área de plantações ao nordeste da cidade de Samarra. A polícia foi acionada e 8 militantes foram presos quando tentavam fugir. No local foram encontrados vários armazéns de explosivos e armas pesadas.
O nome do homem que estava dando o treinamento não foi divulgado, mas segundo a polícia era um conhecido recrutador de jovens para a jihad. O Isis luta há anos na província de Anbar contra o Exército iraquiano, dominado por xiitas. Mas também está ligado a ataques a bomba em outros lugares.
No início de fevereiro, militantes do Isis invadiram as cidades de Fallujah e Ramadi, na província de Anbar, eles estavam fortemente armados e tomar parcialmente o controle dessas cidade.
O exército do Iraque vem trabalhando em cooperação dos Estados Unidos, para combater forças sunitas ao qual o Isis pertence e que se opõe ao governo, que eles acusam de ser “fantoche” dos americanos.
Segundo Brett McGurk, alto funcionário do Departamento de Estado, o Isis tinha cerca de dois mil combatentes no Iraque, e que seu objetivo era se estabelecer em Bagdá. Eles são liderados por Abu Bakr al-Baghdadi, considerado um “terrorista global”. Ele tem ligação com ataques suicidas contra diferentes alvos, incluindo igrejas cristãs.
Com informações de The New York Times
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário