sábado, 29 de março de 2014

JÁ POSSO MORRER...




Morrer faz parte do ciclo da vida. Todos nós nascemos, crescemos e morremos. Se nós conseguimos, na vida, meios de evitar algumas situações, a realidade da morte não há como se evitar. O sentimento que temos com relação a essa realidade é que pode variar.

Muitos próximos a ela se desesperam, outros não se conformam. Culpam Deus e o diabo. Reavaliam de forma triste e frustrada seus dias vividos.


Relaciono agora registros de frases ditas por grandes homens minutos antes de sua morte: “Fui abandonado por Deus e pelos homens” (anônimo) – “Estou nas chamas” (anônimo) – “Tomei providencias para tudo na vida, menos para minha morte. Agora tenho de morrer despreparado”. (Anonimo) – “Se realmente existe um Deus vivo, sou o mais miserável dos homens” (anonimo).

Que coisa! De que adianta, caro amigo, viver seus dias sem a certeza do que será de você amanhã? De que adianta construir e edificar castelos, se sua vida é frágil como uma folha seca? O que haverá pra você depois disso tudo?

Conheço a história de um homem que, ao longo da sua vida – fez suas próprias escolhas – “construiu seu caminho” – como alguns vão dizer.

O fato de conhecer a Jesus não o impediu de menosprezá-lo e continuar deixando “a vida o levar”.

Contudo, seus momentos próximos à morte o fizeram refletir. Avaliou sua trajetória. Considerou seus caminhos, suas escolhas. Encontrou em sua alma a prepotência, arrogância e altivez. Olhou para si e ponderou de forma frustrada seus dias. Porém, quando sofrivelmente olhou ao seu lado, Jesus ainda estava ali. É como se a vida toda, Jesus estivesse o esperando!

Envergonhado, e sentindo a amarga realidade que cerca a todos os homens, cultos ou indoutos; aquele homem suplica:

"Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino” Lc. 23:42

E qual não foi sua surpresa, sua grata satisfação ao ouvir as palavras de Jesus:

Jesus lhe respondeu: "Eu lhe garanto: Hoje você estará comigo no paraíso". Lc. 23:43

Aquele homem então consegue “descansar”, mesmo em meio à realidade da morte. Sua cultura, suas verdades, seu estilo de vida, nada fora capaz de lhe proporcionar o que aquelas palavras lhe trouxeram. O acalento diante da tragédia que fora a sua vida.

Sei que você não chegou a roubar, como esse homem. Não matou, não cometeu algum crime. Sempre foi um cidadão honesto, cumpridor dos seus deveres.

Pode ser que você tenha dedicado sua vida a cultura e ao conhecimento, que é algo extremamente louvável. Contudo a vida é mais do que isso. A vida é a certeza de que um dia morreremos.

É a inexorável realidade do pós-pecado – nascemos e morremos.

Diante do túmulo todas as filosofias caem. Os mais sábios e os tolos se encontram ante a mesma realidade (Ecl. 2:15).

Eu posso morrer. Não que esteja abrindo mão da minha vida. Eu posso morrer na certeza de que minha morte não é o fim. De que estarei ainda vivo, embora padeça essa carcaça física. Eu posso morrer, não porque se ache mérito algum em mim, mas sim Em Cristo!

Cristo, Ele sim – é a certeza de que minha morte não é o fim. Ainda que não consiga construir ou conquistar tudo aquilo que desejei ou almejei aqui, estou certo de que, em Cristo, eu ganhei muito mais! Nele eu tenho uma realidade eterna e inestimável.

Portanto, ainda que morra, eu morro feliz. Morrer passou a ser lucro, assim como viver aqui com Ele passou a ser ganho!

E para fechar, as últimas palavras de alguém que morreu com Cristo:

“Logo estarei com Jesus. Acho que estou muito ansioso. Isso então é a morte? Ora, ela é melhor que a vida! Diga aos meus que eu morro feliz em Cristo!” (John Lyth).

Você poderia afirmar o mesmo?

Marcello Matias, pastor.


Um comentário:

  1. Olá amigo Antonio Magnus.
    Uma excelente noite.
    Eu não estou não, pois gostaria de passar mais tempo nesta terra, e tenho verdadeiro pavor deste assunto. Sabemos que é inevitável para todos nós, claro que uns procuram e outros evitam por sua vida em risco, mas hoje em dia têm acontecido casos com mais frequências de falecimento por morte súbita e neste sentido fico assustada.
    Agora entrego a minha vida nas mãos de Deus ele que designa o que pode acontecer comigo a qual quer hora.
    Abraços sempre.
    A te um magnífico fim de semana extensivo a vossa família..
    Abraços sempre.
    ClaraSol

    ResponderExcluir