segunda-feira, 2 de junho de 2014

Hitória do pai que perdeu seu filho

um dia nós vamos nos encontrar

   UM DIA A GENTE SE ENCONTRA!





   Um pai revira todos os documentos e toda a papelada de uma caixa. E uma mãe está aflita no telefone da sala, chorando sem parar.

 O pai logo fala:

   — Não achei nenhuma pista, meu bem.

 — Ninguém tem notícia dele. O que nós vamos fazer? Pergunta a mãe ao desligar o telefone de casa.

   — Não sei, meu bem! Disse o pai aflito com as mãos na cabeça.

   — Já tem três dias que ele está desaparecido, meu bem. Responde a mãe em pranto.

   O pai, sem resposta, se levantou do sofá da sala e ficou andando pela casa sem saber o que fazer. Enquanto a sua esposa só chorava, lembrando do filho dentro de casa brincando de bola, jogando videogame, comendo um belo banquete na cozinha. Que dor essa mãe está sentindo ao lembra do sorriso de seu filho, sem saber o paradeiro dele, não sabe se aconteceu algo ruim ou não. 

   O pai, já cansado porque passou três dias direto procurando o filho, não teve nenhum resultado positivo. A mãe ligou para todos os conhecidos e parentes, mas também ninguém soube notícia do menino. 
 
   No primeiro dia do desaparecimento, chamaram a polícia. O policial pediu todas as informações sobre o filho: Qual é o nome dele? Quantos anos ele tem? Que roupa ele estava usando quando saiu de casa? Ele saiu com alguém? 
   A mãe naquele momento só chorava e o pai, mesmo em aflição, passou todas as informações sobre seu filho:
   — Ele é moreno, tem quatorze anos, está usando uma camisa bege que eu dei de presente para ele. Saiu sozinho para jogar bola, não sei se ele foi se encontrar com alguém. Já rodei nos locais onde ele joga, mas ninguém o viu.
 
   Os policiais foram a procura do menino. Mas já está com três dias, nada de notícia, nem ruim, nem boa. O pai, rodando pela casa sem saber como agir numa situação em que só Deus para fazer um milagre acontecer, ele se depara com a sua esposa de joelhos de lado com a cama do filho, dizendo pra Alguém mais poderoso que tudo nessa vida:
   — Oh meu Deus! Faça o meu filho aparecer, nem que o Senhor use um anjo para o encontrar. Tenha misericórdia da nossa dor.
 
   O pai encostado na porta do quarto do filho, só chorava, enquanto a sua esposa falava com Deus. 
   — Nos ajude a encontrar nosso filho, meu Deus! O pai também clamou a Deus com lágrimas escorrendo pelo rosto.
   Naquele momento, a campainha de casa toca. O pai desesperadamente vai atender a porta, é uma policial que traz notícias:
   — Parece que nós encontramos o seu filho.
   A mãe, já na sala, cai de joelhos e agradece a Deus. O pai logo pergunta:
 
   — Ele está bem, policial?
 
   — Nós o encontramos numa praça, junto com vários jovens mendigos e drogados, mas não temos certeza se é ele mesmo. Por isso que nós viemos buscá-los para conferir.
   Assim, todos foram à tal praça. Quando descem do carro, o pai de longe logo avista o filho que corre ao seu encontro. O menino olha para o pai e diz:
   — Você é meu pai? Eu não sabia com certeza se eu tinha pai e mãe, não me lembrava de nada, Mas às vezes eu me lembrava do meu pai e de minha mãe cuidando de mim em uma casa.
   Uma policial se aproxima e diz:
   — Com certeza, deram drogas a força pra ele, por isso que ele está assim. Jogaram aqui para se viciar e ser mais um a comprar drogas com roubo.
   — Você vai pra casa, meu filho! Disse a mãe.
 
   — Mas, e os meus amigos, quem vai ficar com eles? De vez em quando chega um pessoal aqui e bate neles, mas quando eu estou aqui ninguém bate neles.
   Os policiais logo o dizem:
   — Não se preocupe, nós vamos mandar alguém buscá-los.
   A policial oferece carona aos pais:
   — Vamos! Eu vou deixar vocês em casa.
 
   Mas o pai e a mãe abraçavam o filho com tanta força e alegria que nem perceberam o que a policial havia dito. O pai ficava repetindo constantemente as mesmas palavras:
   — Nunca mais você sai da nossa vista! Eu vou ficar te vigiando direto, dia e noite. Nunca mais vou te perder!
 
   Nesse momento, o pai acorda e diz com lágrimas nos olhos:

   — É a primeira vez que sonho com o meu filho que faleceu a um ano atrás. De uma coisa eu tenho certeza, ele está bem e está esperando por mim no Reino de Deus. Porque um dia nós vamos nos encontrar.

   Autor: Cicero Mattos

   Conclusão: Oi, pessoal! Esse foi o primeiro sonho que tive com o meu filho, fiquei triste porque não era realidade tudo aquilo. Mas mesmo assim, eu agradeço a Deus pelos quatorze anos que vivi com ele. Mas foi a primeira vez que eu o vi em um sonho, aquele sonho me provou que um dia eu irei me encontrar com ele.
 
   Então, você que perdeu um familiar, um amigo, entregue a sua vida para Deus. E creia que um dia você também vai se encontrar com essa pessoa que foi tão amada em sua vida. Você, marido ou esposa que perdeu o seu parceiro, lembre-se que um dia você vai se encontrar com ele ou ela, porém você que ficou, tem que está andando na mesma fé da pessoa que já se foi dessa vida para outra.

   Por favor, comentem com as suas palavras abaixo sobre tudo isso que eu falei sobre a minha lição da vida real.
 
   Obrigado a todos pela força e até a próxima!
    
                                             Eu dedico esse texto ao meu filho Cicero Janderson.
                                                                                                                    Cicero Mattos. 
 

4 comentários:

  1. Muito obrigado, Antônio!
    Essa lição de vida foi do meu filho de 14 anos, faleceu afogado no passeio no meio dos jovens cristãos.
    O seu velório e o seu sepultamento, teve homenagem e aplausos do grupo de jovens que ele participou. Ele foi sepultado com músicas de louvor a Deus. Colocaram a bandeira do grupo jovem sobre o seu caixão.
    Olha, Antônio! Foi o sepultamento mais bonito que eu vi na minha vida, não porque era o meu filho, foi muito bonito.
    Porque isso aconteceu? O meu filho participou de um grupo de jovens e ganhava muitas almas para Jesus. Você acredita que de vez em quando alguém aparece e diz: — Oi, você é o pai do Cicero Janderson? Hoje eu estou na igreja, porque o seu filho me convidava direto pra ir.
    Deus levou o meu filho, mas eu sou o pai mais feliz do mundo. Porque eu tenho orgulho do meu filho. Eu não reclamo dos anos que perdi na frente que eu poderia viver com ele, eu agradeço a Deus pelo os seus 14 nos que eu tive a honra de viver com ele. O meu filho era um anjo e eu não sabia.
    Fique com Deus e até mais!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Antônio!
    No dia que aconteceu o fato no dia 13 de outubro de 2012, eu não puder me despedir do meu filho direito e chorei muito.
    Esse sonho que eu tive com ele, pra mim foi tão real, que eu puder abraça-lo como nunca na minha vida. Depois eu acordei, eu me senti mais aliviado com a dor da saudade que não passava.
    Hoje em dia, a saudade continua, mas eu puder dar um forte abraço nele.
    Ele foi o meu filho exemplar na sua vida com Deus. Deus ainda deixou-me comigo a minha esposa e mais dois filhos, Jardel e Jade, que eu amo de coração também.
    Um dia, eu determino pela a minha fé, toda a minha família vai se encontra um dia no Reino de Deus.
    Obrigado por tudo, irmão! Fica na santa paz de Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estas palavras acima é do próprio autor desta reflexão que copiei do seu blog, e vejo que na vida de um justo, tem um consolador, valeu meu Irmão na fé Cicero Jodecir.

      Excluir
  3. Que triste, eu posso imaginar sua dor Cícero, ou talvez não, só quem passa por uma situação dessas sabe o que sente.
    Iluminado seu sonho.abraços!

    ResponderExcluir