quinta-feira, 19 de junho de 2014

Missionários Brasileiros presos no Senegal são absolvidos



Os missionários foram absolvidos de todas acusações
 
 
Missionários Brasileiros presos no Senegal são absolvidos
Missionários Brasileiros presos no Senegal são absolvidos
Depois de ano e meio presos no Senegal, os missionários José Dilson e Zeneide Morais, foram absolvidos no julgamento final de todas as acusações.
Os missionários, que respondiam em liberdade, haviam sido acusados de desrespeitar o islã, ao ensinar o cristianismo para crianças e adolescentes senegaleses. Há alguns anos, eles eram responsáveis pelo projeto social Obadias, que abriga e cuida de menores de rua.
Por conta de uma decisão da Justiça, ambos estavam proibidos de deixar o país até a decisão final do caso.
No dia 20 de maio desse ano, a Promotoria havia proposto a pena de dois anos de prisão e o pagamento de uma multa. Hoje (17), porém, o juiz determinou a liberdade completa dos missionários.
Louve ao Senhor por todos os cristãos que se uniram em oração pelo desfecho do caso e celebre conosco a liberdade de nossos irmãos.
“Quando um membro sofre, todos os outros sofrem com ele; quando um membro é honrado, todos os outros se alegram com ele.” 1 Coríntios 12.26
Entenda o caso
No início de novembro de 2012, o pai de um dos meninos do Projeto Obadias – abrigo que os missionários dirigiam antes de sua prisão, dirigiu-se às autoridades e fez acusações contra José e Zeneide, alegando que seu filho havia se recusado a recitar uma oração muçulmana e estava exibindo comportamento cristão.
O pai afirmou que os cristãos estavam desrespeitando o islã ao ensinar o cristianismo às crianças. Outras acusações incluem sequestro e tráfico de menores.
José Dilson, membro da Igreja Presbiteriana do Brasil, é missionário há mais de 20 anos no continente africano e nunca teve problemas com a justiça local. O trabalho missionário juntamente com a Zeneide é mantido no país por organizações missionárias brasileiras.
O caso contou com comoção por parte de parlamentares brasileiros, o senador Magno Malta, acompanhado dos deputados federais, Paulo Freire e Roberta Fonseca. A comitiva esteve na carceragem de Mbour, na África para ouvir a versão dos missionários presbiterianos sobre as acusações que mantia ambos presos.
Por Roberto Falbo em amigo de Cristo
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário