sábado, 29 de novembro de 2014

A grande mensagem de Lewandowski,ele defende conciliação e mobilização até de pastores e padres, Veja.



De cada 100 processos, apenas 30 são resolvidos pela Justiça; presidente do STF
defende conciliação e mobilização até de pastores e padres

Por Fausto Macedo
Liminar de ministro possibilita reeleição na Corte paulista. Foto: Andre Dusek/Estadão
Liminar de ministro possibilita reeleição na Corte paulista. Foto: Andre Dusek/Estadão

Ante a avalanche de demandas que trava o Judiciário – cerca de 100 milhões de processos em curso no País – , o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu o uso maciço do recurso da conciliação. Invocando tese de doutorado ele pregou mobilização geral, até “pastores, padres, sacerdotes”.

“Temos que mudar o paradigma, temos que sair de uma cultura de litigiosidade para uma cultura de pacificação.”

Lewandowski enfatizou. “Devemos justamente mudar a nossa cultura, mudar o enfoque no sentido da solução de controvérsias. Mas, como vamos fazer isso? Utilizando meios e instrumentos alternativos. Eu me refiro à mediação e também à arbitragem. O mundo moderno precisa desses instrumentos.”

Nesta sexta feira, 28, o ministro participou como convidado especial de reunião-almoço do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), tradicional reduto da advocacia que completa 140 anos de vida. Lewandowski falou sobre “Desafios e perspectivas do Judiciário.”

O ministro teve como plateia profissionais que sofrem na pele o dia a dia de um sistema em crise por causa do volume estúpido de pendências.

A nata da advocacia ouviu e aplaudiu Lewandowski.


Cerca de duzentos advogados, entre eles criminalistas renomados e de grande prestígio, acompanharam atentamente o relato do presidente da Corte. Lewandowski revelou que, em 2013, os juízes brasileiros aplicaram 25,7 milhões de sentenças, 3.5% a mais que no ano anterior.

Continue lendo aqui
http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/a-grande-mensagem-de-lewandowski/

Nenhum comentário:

Postar um comentário