terça-feira, 18 de novembro de 2014

Em resposta à ataque, Netanyahu ordena destruição das casas de terroristas


Terroristas palestinos que mataram quatro israelenses eram primos e viviam em Jerusalém Oriental

Cena do ataque em que dois suspeitos palestinos armados com machados e facas mataram ao menos quatro pessoas em uma sinagoga de Jerusalém
Cena do ataque em que dois suspeitos palestinos armados com machados e facas mataram ao menos quatro pessoas em uma sinagoga de Jerusalém (Kobi Gideon/GPO/Getty Images)
O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ordenou a destruição das casas dos dois palestinos que cometeram o atentado cometido na manhã desta terça-feira, que matou quatro israelenses que rezavam em uma sinagoga de Jerusalém. A polícia israelense também prendeu nove parentes dos palestinos.
Os dois terroristas foram identificados como os primos Odai Abed Abu Jamal, de 22 anos, e Ghassan Muhammad Abu Jamal, de 32. Eles eram moradores do bairro de Jabal Mukaber, em Jerusalém Oriental. Parentes afirmaram que eles estavam revoltados com ações israelenses que, segundo eles, ameaçavam a Esplanada das Mesquitas, um dos locais mais sagrados do Islamismo. Os dois foram mortos pela polícia em uma troca de tiros, logo depois de atacarem os frequentadores da sinagoga com golpes de faca, machado e tiros. Foi o maior atentado contra cidadãos israelenses em três anos, de acordo com o The New York Times.
Em um discurso na televisão que foi ao ar nesta tarde, Netanyahu acusou o grupo terrorista Hamas e a Autoridade Nacional Palestina (ANP) de incitarem o ataque. "Estamos no meio de uma onda de ataques terroristas. Esses animais que cometeram esse massacre vieram carregados de ódio contra o povo judeu e o Estado [israelense]", disse. Netanyahu disse que a resposta ao terrorismo vai ser dura, mas também pediu para que os israelenses não cometam atos isolados de vingança contra os palestinos. "Ninguém deve fazer justiça com as próprias mãos."
As vítimas foram identificadas como o rabino Moshe Twersky, de 59 anos; Arieh Kupinsky, de 43; Kalman Levine, de 55, e Avraham Goldberg, de 68. Todos tinham dupla nacionalidade. Os três primeiros tinham cidadania americana, e o quarto, britânica.  Os quatro moravam na mesma rua do bairro Har Nof. Eles deixam quatro viúvas e 24 filhos. Yosef Posternak, uma das testemunhas do ataque, disse à rede BBC, que 25 pessoas rezavam no local no momento do ataque. Seis pessoas ficaram feridas.
Fonte Revista veja continue lendo e assista o vídeo aqui
http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/em-resposta-a-ataque

Nenhum comentário:

Postar um comentário