terça-feira, 27 de outubro de 2015

“Sou muçulmano”, afirma ex-presidente Lula ao se negar a falar sobre escândalos de corrupção

“Sou muçulmano”, afirma ex-presidente Lula ao se negar a falar sobre escândalos de corrupção
O ex-presidente Lula afirmou que é muçulmano durante uma entrevista concedida na Feira Nacional da Reforma Agrária, em São Paulo, no último sábado, 24 de outubro.
Os jornalistas o inquiriram sobre questões ligadas aos escândalos de corrupção e os rumos políticos do governo federal, regido por seu partido, o PT. Segundo informações do Correio Braziliense, para evitar responder as perguntas, Lula saiu-se com essa: “Sou muçulmano e não falo sobre política no sábado”.
A afirmação do ex-presidente, usando a característica sabatista da religião muçulmana para evitar um tema que é recorrente desde que os primeiros escândalos de corrupção foram revelados em seu mandato – como no caso do mensalão – revela mais proximidade com o islamismo do que aparenta, já que durante seu governo, as relações brasileiras com países como o Irã, que é uma teocracia regida pelo islamismo, perseguidora de cristãos, se estreitaram.
Lula é habituado a recorrer às religiões de forma banalizada, sempre resultando em polêmicas. Em 2011, o ex-presidente desdenhou da parábola de Jesus sobre a entrada do rico e do pobre no Reino dos Céus (Lucas 18:25), dizendo que o céu deve ser vivido aqui na terra, com os pobres tendo direito de viver bem como os ricos.
“Bobagem, essa coisa que inventaram que os pobres vão ganhar o reino dos céus. Nós queremos o reino agora, aqui na Terra. Para nós inventaram um slogan que tudo tá no futuro […] Queremos que todo mundo vá pro céu, agora. Queremos ir pro céu vivos. Não venha pedir para a gente morrer para ir pro céu que a gente quer ficar aqui mesmo” disse.

Mais recentemente, Lula zombou das pregações de evangélicos sobre o diabo e o dízimo: “Os pastores evangélicos jogam a culpa em cima do diabo. Acho fantástico isso. Você está desempregado é o diabo, está doente é o diabo, tomou um tombo é o diabo, roubaram o seu carro é o diabo […] Eu acho legal [culpar o diabo] porque é direto. Não tem nem investigação. É direto. O culpado está ali. É a teoria do domínio do fato […] E a solução [para os problemas causados pelo diabo] também está ali. É Deus. Pague o seu dízimo que Jesus te salvará”.
As piadas não passaram impunes e diversos pastores reagiram à fala do ex-presidente, e enquanto Marco Feliciano (PSC-SP) atribuiu a infelicidade do ex-presidente a uma “ilusão etílica”, Silas Malafaia apontou um caminho de cura, dizendo a Lula “que Jesus liberta da cachaça”.
 Publicado por Tiago Chagas em Gospel mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário