segunda-feira, 25 de abril de 2016

Reflexão! Aprendendo com as formigas as lebres o gafanhotos ea lagartixa



 No mundo há quatro animais que são pequenos, mas muito espertos: as formigas, que são fracas, mas ajuntam a sua comida no verão; os coelhos selvagens, que também não são fortes, mas fazem as suas casas nas pedras; os gafanhotos, que não têm rei, mas avançam em bandos; e as lagartixas, que qualquer um pode pegar com a mão, mas podem ser encontradas até nos palácios”. (Provérbios 30.24-28).
Esta porção da Palavra de Deus mostra, em forma de metáforas, a organização que se deve ter na vida. A forma natural de ação deles lembra como se deve agir no viver diário. 
As formigas são organizadas e previdentes. Elas trabalham de forma incansável quando as coisas vão bem para ter seu alimento nos dias em que são impossibilitadas de sair, o inverno. Juntar recursos para os dias mais complicados é uma atitude sabia.
As lebres se protegem das adversidades nas pedras. Assim o salmista procurou seu refúgio e disse: ‘O Senhor é o único Deus; somente Deus é a nossa rocha. Ele é o Deus que me dá forças e me protege aonde quer que eu vá. Ele não me deixa tropeçar e me põe a salvo nas montanhas’. (Salmo 18.31-33). A proteção divina está à nossa disposição, basta que nos apossemos dela.
Os gafanhotos são pequenos, mas o trabalho que fazem é grande. Eles trabalham em grupo. Agem em comunidade. Apartados são fracos, unidos tem força. Se agirmos com este propósito de unir nossas forças teremos vitórias nas nossas atividades. ‘A união faz a força’.

A lagartixa tem uma qualidade enorme e que nos espanta: Apesar da sua insignificância o sábio ressalta que ela podia ser encontrada nos palácios. Ele usa a imagem de um palácio para transmitir a ideia de uma vida de prosperidade, segurança, conforto e poder. E esse animalzinho, apesar de ser delicado vive em um lugar de abastança e prosperidade. 

Portanto, se observarmos estas pequenas criaturas divinas seremos mais sábios nas nossas relações e realizações e a vitória será real.


      Léo Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário