domingo, 19 de junho de 2016

Menina de 8 anos morre durante noite de núpcias


Uma menina “noiva”, de apenas oito anos de idade, morreu no Iêmen em sua “noite de núpcias”, depois de sofrer ferimentos internos devido a trauma sexual. As organizações dos direitos humanos estão pedindo a prisão de seu “marido”, que tem cinco vezes a idade da criança.

Al Nahar, Líbano, informou que a morte ocorreu na área tribal ao noroeste do Iêmen , em Hårdh, na fronteira com a Arábia Saudita. Isto traz ainda mais atenção para a questão existente sobre os casamentos infantis forçados no Oriente Médio.


De acordo com o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), entre 2011 e 2020, mais de 140 milhões de meninas se tornaram “noivas” para o casamento de meninas. Além disso, dos 140 milhões de meninas que se casam antes da idade dos 18, 50 milhões serão menores de 15.

Relata-se que mais de um quarto das meninas no Iêmen são submetidas ao casamento antes dos 15 anos. Não só perdem o acesso à saúde e educação, estas esposas menores de idade são submetidas à violência física, emocional e sexual em seus casamentos forçados.

Em fevereiro de 2009, uma lei foi criada no Iêmen, que afirmou que a idade mínima para o casamento aos 17 anos, infelizmente, foi revogada pois os legisladores mais conservadores chamaram de “lei anti-islâmica”.

Fonte Portal Padom
http://padom.com.br/menina-de-8-anos-morre-durante-noite-de-nupcias/


2 comentários:

  1. Abuso sexual é o segundo tipo de agressão mais comum contra crianças brasileiras
    Dados do Ministério da Saúde apontam que esse tipo de agressão está atrás apenas da negligência e abandono em crianças de zero a nove anos
    Abuso infantil: a violência sexual representa 35% das notificações de agressão contra crianças de zero a nove anos
    Abuso infantil: a violência sexual representa 35% das notificações de agressão contra crianças de zero a nove anos
    A violência sexual é o segundo tipo de violência mais comum contra crianças de zero a nove anos. Com 35% das notificações, ela está atrás apenas da negligência e abandono (36%). Os números preliminares fazem parte de um levantamento inédito divulgado nesta terça-feira pelo Ministério da Saúde, com base em dados do sistema de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA). De acordo com o VIVA, em 2011 foram registradas 14.625 notificações de violência doméstica, sexual, física e outras agressões contra crianças menores de dez anos.
    A cada hora quase três denúncias de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes foram registradas no país ao longo de 2014 pelo Disque 100, serviço gratuito de denúncia por telefone do governo federal. Esta segunda-feira (18) marca o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

    No ano passado, 24.575 queixas desses crimes foram recebidas pelo serviço de denúncia, sendo 19.165 referentes a abuso sexual e 5.410 de exploração sexual. Foi uma média de 67 notificações por dia, segundo dados fornecidos pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

    São Paulo foi o Estado que apresentou a maior quantidade de denúncias tanto de abuso quanto de exploração sexual. No entanto, Santa Catarina liderou o ranking quando se leva em consideração a taxa de queixas de exploração a cada cem mil habitantes (20,8). Já o Distrito Federal ocupa o topo da lista com maior índice de denúncias de abuso por cem mil pessoas (65,8).

    O abuso sexual ocorre quando a criança ou o adolescente é obrigado por um adulto a manter práticas sexuais, com ou sem contato físico. Já a exploração sexual é a relação sexual com criança ou adolescente que envolve o pagamento por meio de dinheiro ou benefícios.
    É muito triste isso..e aqui na nossa cidade que muitos não tem ideia de quantas crianças são molestadas todos os dias e ficam com marcas por uma vida inteira, muitos tem sérios problemas de relacionamento na faze adulta, vai investigar pra ver: pode ter certeza que em algum momento essa pessoa foi uma vitima...
    Precisamos investir mais em educação Bílica para nossas crianças, só assim poderemos protege-las dos abusadores que vivem escondidos dentro de uma carapuça de bom amigo, vizinho, pai ou mãe...cuidado se seu filho apresentar um sintoma diferente...vigie!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliana Matias meu muito obrigado por comentar,Deus te abençoe.

      Excluir