quarta-feira, 22 de junho de 2016

Rádio Liberdade AM que completa 60 anos Parabens

No dia 09 de abril do ano de 1956, foi criada a SOCIEDADE CANGUÇUENSE DE RÁDIO LTDA., naquela data foi formalizada a constituição social da Rádio Liberdade. No ano seguinte, em 17 de março de 1957, era publicado no Diário Oficial da União, o contrato social da empresa.
Mas, foi no ano de 1956 que fizemos nossa primeira transmissão. O jornal A VOZ DE CANGUÇU, em sua edição de 1°de maio de 1956, anunciava, através de entrevista concedida por seu primeiro Gerente, Clóvis Rocha Moreira, que em aproximadamente 30 dias entraria no ar  Sociedade Canguçuense de Rádio Ltda.. Entretanto, em razão de atraso nas obras, a primeira transmissão, em caráter experimental, foi realizada em 22 de junho daquele ano. Foi a primeira transmissão radiofônica realizada em nosso município, data que hoje comemoramos.
Anunciava também aquele periódico, que em concurso realizado junto à população canguçuense, haviam escolhido o nome de RÁDIO LIBERDADE AM para emissora que estava prestes a entrar no ar.
Naquela inesquecível data, estava se concretizando antigo anseio de nossa comunidade, que num esforço conjunto de dezenas de canguçuenses, reuniu recursos, juntamente com a família Lorea, de Pelotas, para tornar realizado aquele sonho.
Desde então, nossa emissora tem sido companhia da comunidade canguçuense, proporcionando informação, cultura e entretenimento, mantendo diálogo aberto com todos os segmentos. Nossos microfones democráticos têm, ao longo de nossa história, através da música, da notícia, da informação e de entrevistas, ajudado no processo de desenvolvimento da nossa querida Canguçu.
A primeira Diretoria da empresa era constituída pelos Diretores Mário Edmundo Loréa, Arnóbio Falcão da Motta e pelo Gerente Clóvis Rocha Moreira.
Nossa primeira equipe de locutores era formada por Luiz Carlos Valente da Silveira, Luiz Carlos Schubert e pelos saudosos Clóvis Moreira, Mogar Gentil Telesca da Silveira, Henrique Porto e José Francisco Jorge.
Na época a emissora, que usava o slogan “CANGUÇU TEM QUE PROGREDIR, operava com um transmissor a válvulas, marca Produtos Elétricos Brasileiros, com potência de 100 watts, na freqüência de 1490 quilohertz e tinha como indicativo de chamada (prefixo) ZYU 81.
No início dos anos 60 a LIBERDADE levava ao ar radio novelas que eram escritas por Clóvis Moreira e José Assis Mourão e contava com a participação de artistas da terra, atingindo níveis de audiência admiráveis para época. Entretanto, a década de 60 foi marcada por muitas dificuldades, pois além dos problemas econômicos da época, a emissora, por não ter fins comerciais, sobrevivia da colaboração da comunidade e tinha como principal fonte de recursos as chamadas dedicatórias, onde o ouvinte oferecia músicas mediante uma irrisória contribuição em dinheiro. Mas, foi uma época inesquecível, poética, quando uma equipe de funcionários e colaboradores trabalhava por amor à causa, a grande maioria, sequer era remunerada.
Nesse período, a emissora foi gerenciada por José Dias Noguez, o Capitão Noguez, como era conhecido. Sob sua direção, a Rádio Liberdade viveu uma época em que a informação passou a ter um tratamento diferenciado, pois, graças ao Talento do Senhor Noguez, a notícia passou a ter um enfoque mais crítico, quando se passou a questionar mais os acontecimentos da época.
Posteriormente, já sob o comando de Willy Krügger, que era um verdadeiro homem-show, os valores e talentos locais passaram a ter destaque em nossa programação através da produção e apresentação de programas de auditório
Foi um período complicado, o regime militar se instalava no país e assim como a grande maioria dos veículos de comunicação da época, a Rádio Liberdade também sofreu com o regime de exceção, sendo alvo de perseguições políticas e represálias, tendo inclusive, seu sistema irradiante danificado por pessoas que entendiam que a liberdade de informação se constituía em ameaça ao regime instalado no Brasil.
Nos anos 70, em pleno regime militar, a Liberdade continuou sob forte repressão, a fiscalização era intensa, nossos arquivos eram periodicamente inspecionados pelo então Dentel (importante instrumento de repressão do regime militar). Foi um período de poucos avanços, tanto na área tecnológica quanto na artística e cultural. Contudo, a empresa continuou sua trajetória sem se abater, ganhou um perfil mais profissional e comercial, aumentou a potência para 250 watts (era a glória), estruturou um departamento comercial e introduziu a veiculação de comerciais gravados em fitas mini K7, uma revolução para época, eis que os comerciais eram lidos “ao vivo” pelos locutores. Nesta época foram Gerentes os Senhores Ciro Iribarrem, Dirceu Fernando Gomes e Alfredo Amaral.
Na década de 80, já na direção de Sebastião Ribeiro Neto e Salazar Ribeiro de Souza demos início a uma nova fase com a aquisição de um transmissor de 1.000 watts, que proporcionou maior cobertura, nossas ondas passaram a atingir municípios que antes não eram atingidos por nosso sinal. Investimos no jornalismo local e fizemos a primeira cobertura informatizada das eleições municipais, sendo a primeira empresa privada do município a ser informatizada, através aquisição de um micro computador (outro grande marco da nossa história).
A partir do ano de 1988, já sob a Direção de Sebastião Ribeiro Neto e Hermes Ribeiro de Souza Filho, passamos a investir em tecnologia, modernizamos nosso estúdio com aquisição de equipamentos modernos, destacando-se os rádio transmissores de VHF. Fomos os precursores em transmissões externas sem fio, com a realização do programa DESAFIO AO DESENVOLVIMENTO, apresentado nos mais longínquos recantos do nosso município, revolucionando o radio jornalismo da época.
Mas, o progresso tecnológico não parou aí. Investimos em informática com a formação de uma rede de computadores conectados à internet e adquirimos um software de automação, demos um salto em qualidade e confiabilidade, com controle total de tudo que é levado ao ar, desde a hora certa até a temperatura são automáticas, nosso equipamento pode trabalhar dias a fio sem a intervenção da mão humana, somos capazes transmitir programação via satélite com disparo automático, sem que para isso haja alguém para fazê-lo.
Em 2003 adquirimos um transmissor de 2.500 watts totalmente transistorizado, transferimos nosso parque de transmissores da Vila Triângulo para as margens da BR 392, proximidades do Galeto Caxias, fizemos todo o sistema irradiante novo, num investimento de quase 200 mil reais (na época o equivalente a 1.000 salários mínimos), proporcionando maior alcance, qualidade, economia e confiabilidade, cujo desempenho só não foi melhor em função das deficiências no fornecimento de energia elétrica.
Passados todos esses anos, nossa emissora tem outro perfil, estamos presentes nos maiores eventos de nosso Estado, destacando-se a EXPOINTER e todos os eventos ligados ao setor primário,bem como eventos regionais como a FENADOCE, que acontece anualmente no município de Pelotas. Estivemos presentes em solenidades de posse de Presidentes da República, Governadores de Estado. Na capital do Estado, estamos sempre presentes com notícias do Executivo e Legislativo.
Desde o mês maio de 2005, passamos a integrar a Rede Gaúcha Sat, antecipando as principais notícias que serão manchete no dia seguinte.
Nosso sinal chega em todos os municípios da Zona Sul do Estado, levando notícia e informação a locais nunca antes alcançados por uma emissora local, pois adquirimos em um novo transmissor com 10 Kw de potência operando em classe B na freqüência de 1.500 Khz com 5 Kw de potência.

A Igreja Assembleia de deus Gideões que esta a 29 anos na radio liberdade AM de Canguçu;RS. com o programa novas de alegria parabeniza a radio Liberdade e pede a Deus que possamos alcáçar todos nossos objetivos.

Deixo aqui a meteria realizada em 2014 quando considerei um dos melhores programa nesta impontante emissora.

 Testemunho que marcou o programa novas de alegria em 2014 na Radio Liberdade, um menino de seis anos que acreditou na promessa de Deus (assista vídeo completo)



Estúdio rádio liberdade am de Canguçu/RS.
O  programa novas de alegria no dia 14 iniciou com uma simples homenagem ao saudoso Pr. Geni Borges, que era um ouvinte assíduo da programação.
E então vem uma entrevista que marcou o Programa novas de alegria quando então, é entrevistado o cantor Valdir Roxo e o Dr. e, Evangelista Marcos Jones.
Dr. Marcos conta que quando criança passou muita fome junto com seus pais que eram muito pobres, ele disse que ia buscar sopa que era servida na Igreja Assembleia de em Capão da Canoa/RS. E então o pastor servia um prato a mais para levar aos seus pais.
Dr. Marcos disse que era aleijado dos pés e que não podia usar uma sandália ou qualquer calçado.
Foi então que aos 6 anos foi na Igreja para buscar uma cura, e então recebeu uma profecia que ele não andaria mais de pé no chão, e que Deus ia levantar ele, e ia abençoar e mudar a sua história.
Todos os detalhes desta entrevista e deste testemunho você encontra no vídeo abaixo, assista compartilhe divulgue pois, irá acrescentar a sua fé e de todos que ouvir.
Sala de espera rádio Liberdade am Canguçu/RS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário