terça-feira, 1 de novembro de 2016

Descoberta na china a porta do inferno e tem atraído muitos turistas no deserto do Turcomenistão


Buraco que 'cospe' fogo tem 70 metros de diâmetro e fica em Karakum.
Brilho da cratera pode ser visto de longa distância.

Cratera de fogo atrai turistas a deserto do Turcomenistão (Foto: Igor Sasin/AFP)

Cratera de fogo atrai turistas a deserto do Turcomenistão (Foto: Igor Sasin/AFP)

A cratera chamada de 'Porta para o inferno' tem atraído muitos turistas para o deserto de Karakum, no Turcomenistão, na Ásia Central. Com 70 metros de diâmetro, o buraco fica na vila de Derweze, a leste do Mar Cáspio e 260 quilômetros ao norte da capital Achkhabad.

A área tem uma quantidade significativa de petróleo e gás natural. E o "incêndio" começou quando geólogos da ex-União Soviética perfuravam a região, em 1971, para obter gás. O chão sob a plataforma cedeu e abriu o buraco.

Cratera pode ser vista de longe, principalmente durante a noite (Foto: Igor Sasin/AFP)Cratera pode ser vista de longe, principalmente durante a noite (Foto: Igor Sasin/AFP)

O poço de fogo foi o resultado de um erro de cálculo simples por cientistas soviéticos, em 1971. Os geólogos perfuraram uma caverna subterrânea para obter gás.
Temendo que a cratera emitisse gases venenosos, os cientistas tomaram a decisão de colocar fogo, pensando que o gás iria queimar rapidamente. Mas as chamas não acabaram em mais de 40 anos, em um símbolo poderoso das vastas reservas de gás do Turcomenistão. Enquanto isso, visitantes viajam até lá para conferir o fenômeno de perto.

Buraco apareceu em 1971 após ação de geólogos da antiga União Soviética que colocaram fogo nos gases (Foto: Igor Sasin/AFP)
Buraco apareceu em 1971 após ação de geólogos da antiga União Soviética que colocaram fogo nos gases (Foto: Igor Sasin/AFP)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário