terça-feira, 29 de novembro de 2016

Dezenas de presos são batizados em presídio no Rio Grande do Norte


A cerimônia de batismo foi realizado por pastores da Assembleia de Deus
Dezenas de presos são batizados em presídio no Rio Grande do Norte
Dezenas de presos são batizados em presídio no Rio Grande do Norte
Presidiários são batizados – Dezenas de presidiários foram batizados na manhã desta sexta-feira (25) na Penitenciária Estadual de Alcaçuz (RN), ao todo Trinta e nove detentos desceram as águas, em um caixa d’água improvisada no pátio interno do presídio localizado em Nísia Floresta, na Grande Natal, que abriga atualmente 1.140 detentos.
A cerimônia de batismo foi realizado por pastores da Assembleia de Deus, que fazem visitas ao local há anos. Detentos que foram nomeados pastores dentro do presídio realizam cultos diariamente no local e conduzem o processo de evangelização, que dura em torno de seis meses.
“Estamos fazendo o que o Senhor nos mandou, levando a palavra de amor, misericórdia, perdão e principalmente ressocialização, mostrando para os internos que existe um Deus que os ama e que pode reescrever as suas histórias”, relata o pastor Hilton Andrade, que conduziu a cerimônia na penitenciária.
Para os detendos, batismo é momento de fé e renovação
Para os detendos, batismo é momento de fé e renovação
Dentre os batizados estão homens que cometeram diversos delitos, mas desejam viver uma vida diferente. “Encontraram a fé”, destaca um ex-detento que agora representa a igreja no presídio.
Um pouco antes do batismo ser concretizado, o pastor Hilton Andrade falou sobre o significado do batismo e comentou sobre o que é nascer de novo. “O Evangelho proporciona a mudança no coração e no comportamento destes homens”, afirmou.
Detentos já batizados e outros observadores lotaram o pátio em frente ao pavilhão 1 de Alcaçuz. Em meio aos louvores durante a celebração, muitos choraram. “O ato do batismo simboliza que a pessoa passa a fazer parte do corpo de Cristo. Quando alguém é batizado, ele deixa o homem velho e se torna uma pessoa renovada”, explicou o pastor.
“Agora eles têm uma nova família, que é a igreja, que os abraça, numa sociedade onde sofrem preconceito”, ressalta Hilton, que também enfatizou os bons resultados com os participantes do projeto. “A grande maioria muda de vida sim, percebemos que Deus toca o coração deles”.(*com informações de G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário