quarta-feira, 6 de junho de 2018

“Só tinha a presença de Deus”, diz piloto que sobreviveu a explosão de avião no ar

Um piloto que sobreviveu a uma explosão do motor de seu avião e se recuperou de forma milagrosa afirmou que nos momentos que antecederam a queda sentiu que a única coisa à qual podia se apegar era Deus. E ele fez isso.
Chris Hall estava testando seu novo avião pela manhã do dia 08 de outubro de 2013, fazendo um vôo nas redondezas do Aeroporto Regional de Brownwood, no Texas (EUA). Durante os testes, ele sentiu um pequeno solavanco embaixo de seu assento, e nesse momento ouviu a voz de Deus o alertando: “Você perdeu força”.
“Empurrei o acelerador para a frente, para ir com força total e nada. Eu não tinha nada. E o motor ficou quieto”, disse Chris, que tentou religar o motor, mas não conseguiu. Posteriormente, a investigação do acidente descobriria que a causa da falha era a bomba de combustível.
“Quando mergulhei para baixo [da linha do] horizonte, percebi que ia cair. Então, falei em voz alta: ‘Aqui vamos nós’. E eu estava falando com o Senhor”, contou o piloto.
Floyd, um amigo de Chris, estava na pista do aeroporto quando viu a explosão no ar, a aproximadamente 150 metros de altura. “Estava a pelo menos 500 pés do chão. Uma bola de fogo enorme. Quando comecei a correr em direção ao local do acidente, eu também estava orando e disse: ‘você não está morto, Chris’”, relatou à emissora Christian Broadcasting Network (CBN).
A polícia foi acionada imediatamente, com o relato do acidente aéreo. Quem respondeu a chamada foi Steven Stone, que se lembra da cena ao chegar próximo do local da queda: “Nós vimos a fumaça negra subindo. Eu nunca diria que alguém sairia vivo dessa. Quando abri a porta, ouvi o vidro quebrar, foi quando tudo ficou laranja”, narrou.
“Ele estava andando até nós, o que eu achei milagroso. Ele parecia que tinha acabado de sair das chamas”, acrescentou Steven, que imediatamente levou o piloto ao hospital mais próximo do aeroporto.
No caminho para o hospital, Chris ligou para sua esposa, Dot. “Ele disse: ‘Eu bati meu avião e não me machuquei muito’. Um dos socorristas pegou o telefone e disse: ‘Senhora Hall, Chris está muito machucado’”, relembrou a esposa.
Enquanto corria para o hospital, ela informou a um dos filhos o que havia acontecido. “Nós dois estávamos orando para que nenhuma arma forjada contra Chris prosperasse e para que ele vivesse, que tivesse seu corpo totalmente curado”, contou.
Quando ela chegou, os médicos se preparavam para entubar Chris e interá-lo na UTI. “Sua cabeça estava inchada e ele [tinha] queimaduras, ficou muito mal. Então, ver Chris assim foi muito difícil”, afirmou Dot.
Chris lembra do encontro com a esposa: “Ela disse: ‘Oi, Baby’. E eu estava muito feliz por ela estar lá”, disse o piloto, que logo foi estabilizado e descobriu que não havia quebrado nenhum osso ou ferimentos internos.
Da parte dos médicos, a preocupação era a quantidade de enxertos de pele necessários para curar as queimaduras de 2º e 3º graus, cobrindo quse 25% do seu corpo. “Os médicos me levaram para o corredor e eu perguntei para eles: ‘O que estamos vendo?’, Eles disseram: ‘Você vai ficar aqui por meses’”, disse a esposa. “Eu só pensava ‘Deus é maior do que isso’ E então eu simplesmente saí sozinha pelo corredor e disse: ‘Senhor, você sabe, o que Tu dizes sobre isso?’ E eu senti que Ele falou comigo: ‘Duas semanas. Você ficará aqui por duas semanas’”.
Dot, seus filhos, membros da família e vários amigos próximos oraram pela plena recuperação de Chris. “Nós colocamos nossas mãos em Chris na UTI e declaramos sua cura”, testemunhou a esposa.
“Foi ótimo ter pessoas concordando em oração. Eu estava deitado e a única coisa que eu tinha era a presença de Deus. Eu não tinha mais nada”, ressaltou o piloto, que após duas semanas de internação, recebeu alta médica.
“Foi incrível saber que Deus havia ouvido minhas orações”, celebrou Dot, que viu o marido em atividade após três meses de tratamento. Hoje, ele e sua esposa ministram em igrejas de todo o país e compartilham seu testemunho de oração atendida, além de frequentes contatos de veículos de imprensa, como o USA Today, por exemplo, interessados em sua recuperação milagrosa.
“Não há nada que Chris fizesse antes que não possa fazer hoje”, comemorou Dot, ao final da entrevista.
O amigo Floyd pontuou que “não tem dúvida de que a mão de Deus estava em Chris”. E o piloto concordou: “Acredite em Deus antes da dificuldade. Não espere até que algo como isso aconteça para fazer você acreditar”, concluiu. Confira o vídeo com o relato (em inglês):

FONTE GOSPEL MAIS 

Nenhum comentário:

Postar um comentário