domingo, 28 de outubro de 2018

Oração de Magno Malta abre pronunciamento de Bolsonaro assista video da oração e discurso


Presidente afirmou que está em uma "missão de Deus" e começou discurso da vitória com versículo bíblico.

Jair Bolsonaro e Michele Bolsonaro. (Foto: Luciano Belford/Agencia O Dia)

Jair Messias Bolsonaro, 63 anos, foi eleito neste domingo (28) o 38º presidente do Brasil.
Nascido na pequena Glicério, no noroeste do estado de São Paulo, ele concorria pela primeira vez ao cargo. Após sete mandatos como deputado federal pelo Rio de Janeiro, conseguiu vencer a sequência de 6 pleitos vencidos por PT ou PSDB.
Sua campanha foi marcada pelo ineditismo, com a recusa de usar o dinheiro do fundo partidário, optou por concentrar seus esforços nas redes sociais. Muitas vezes realizou programas de forma improvisada, mas que caíram no gosto da população, acumulando dezenas de milhões de visualizações.
O discurso adotado por ele desde o início teve tons religiosos, a partir da escolha de seu slogan: “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”. Recebeu o apoio maciço dos evangélicos, o que gerou ataques de Fernando Haddad (PT).
Com fortes tons conservadores, sua mensagem encontrou eco no brasileiro médio, que vinha demonstrando aversão ao PT e seu gigantesco escândalo de corrupção desbaratados nos últimos anos pela Operação Lava Jato. Isso já ficara evidenciado no primeiro turno, quando o Congresso teve grande renovação, apresentando o perfil mais conservador das últimas três décadas.
Capitão reformado do exército, ele terá como vice o general Hamilton Mourão (PRTB), fazendo com que este seja o primeiro governo militar eleito pela via direta em 72 anos. O último foi Eurico Gaspar Dutra, em 1942.

Atentado durante o primeiro turno

No dia 6 de setembro, enquanto fazia campanha em Juiz de Fora (MG), Jair Bolsonaro foi alvo de um atentado. Adélio Bispo, que tem um histórico de ligações com partidos de esquerda, deferiu-lhe uma facada que colocou sua vida em sério risco.
O peselista foi submetido a duas cirurgias e passou 23 dias internado, a maior parte do tempo no hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ficou impossibilitado de participar dos debates e desde que voltou para casa, em 29 de setembro, comandou a campanha a partir de sua casa, no Rio de Janeiro.

Equipe e estratégias de Governo

As propostas apresentadas em seu plano de governo aliavam o liberalismo econômico com a defesa de manutenção dos costumes, o exato oposto que pretendia Haddad, seu principal adversário.
A opção de Bolsonaro em não fazer alianças lhe permite começar seu governo com isenção para a escolha de ministros, algo que defendeu ao longo de toda a campanha.
Até agora, confirmou apenas 3 nomes para seu governo. Paulo Guedes assumirá o Ministério da Fazenda; Onyx Lorenzoni, a Casa Civil; e o general Augusto Heleno ficará com o ministério da Defesa.
Outros nomes citados por ele incluem o ex-astronauta Marcos Pontes para Ciência e Tecnologia. O senador Magno Malta, que chegou a ser cotado para vice, também surge como um forte candidato a ministro.
Entre as medidas esperadas logo no início do seu governo estão uma mudança radical nas relações exteriores, buscando aproximação com os Estados Unidos, Israel, Japão e Itália.
Também comprometeu-se em “enxugar” a máquina pública, fechando estatais improdutivas e dando início a um processo de privatizações.
Ao longo de sua campanha, Bolsonaro falou incessantemente em combater a corrupção e alocar o dinheiro público nas áreas prioritárias como educação, saúde e segurança pública.
DISCURSO E ORAÇÃO DA VITÓRIA DO PRESIDENTE ELEITO JAIR BOLSONARO URGENTE: Bolsonaro faz primeiro pronunciamento após ser eleito Presidente da República; assista

Nenhum comentário:

Postar um comentário