sábado, 16 de maio de 2020

Ministro da Justiça defende evangélicos após ataque de jornalista esquerdista

Associação de juristas evangélicos disse que objetivo foi depreciar a imagem dos cristãos e equipará-los aos nazistas.

Ministro André Mendonça. Foto: reprodução 

O novo ministro da Justiça, André Mendonça, saiu em defesa dos evangélicos após o jornalista Ricardo Noblat publicar em seu perfil pessoal do Twitter duas imagens onde compara um momento de oração de um grupo evangélico a uma saudação nazista.

O post feito no dia 12 de maio mostra, na primeira foto pessoas presentes nas proximidades do Palácio da Alvorada orando com as mãos erguidas em direção ao Chefe do Executivo; na segunda, apoiadores de Hitler realizando a saudação nazista. Comentando, Noblat escreveu: “Não passa de mera coincidência!”.

A imagem do contexto brasileiro foi publicada pela CNN, no dia 08 de maio de 2020, explica a Anajure, que também repudiou a publicação de Noblat. Na legenda, o site de notícias informou: “Apoiadores de Bolsonaro oram pelo presidente na porta do Palácio da Alvorada” (grifo nosso). A oração foi capturada em vídeo, gravado de outro ângulo, e está disponível no YouTube.

O ministro da Justiça disse que o jornalista mostrou com o feito sua total incapacidade de interpretação
Indignação e pena. Indignação com o preconceito e a intolerância tão descarados contra evangélicos que estão apenas orando e pedindo que Deus abençoe o país e o nosso presidente. Pena pela revelação da total incapacidade de um jornalista em interpretar a realidade das coisas.
A Anajure também defendeu os cristãos e disse que tomará as providências cabíveis para interpelar extrajudicialmente ou, caso necessário, judicialmente, o Sr. Ricardo Noblat, a respeito da postagem publicada, além de outras providências.
Associação de juristas evangélicos afirma ainda que objetivo foi, nitidamente, de depreciar a imagem dos cristãos e equipará-los aos nazistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário