terça-feira, 22 de setembro de 2020

‘Se Deus quiser voltaremos à normalidade’, diz Bolsonaro na AD Madureira



A Convenção da Assembleia de Deus Madureira no Distrito Federal recebeu a visita do presidente Jair Bolsonaro, que comentou o cenário da sociedade brasileira nesse momento e a perspectiva de retomada plena das atividades após a pandemia do novo coronavírus.

O presidente se queixou das limitações impostas pelo Poder Judiciário às ações do governo federal, mas afirmou que não poderia se omitir e, dessa forma, agiu dentro do que estava ao seu alcance para minimizar os impactos sanitários e econômicos da pandemia.

“A paz do Senhor Jesus”, cumprimentou Bolsonaro, que foi recebido pelo principal líder do Ministério de Madureira, bispo Manoel Ferreira. “Temos um povo maravilhoso, em sua maioria, temente a Deus. Passamos por uma grande provação, ou melhor, estamos no final dela”, disse Bolsonaro sobre a pandemia.

“Na parte econômica, o Brasil foi o que melhor se saiu. Quis o destino também que na área de saúde, aos poucos, ao se deixar de politizar a única alternativa que nós tínhamos, começou-se a salvar mais vidas”, acrescentou, referindo-se ao coquetel de tratamento precoce que tem a hidroxicloroquina entre os remédios.

Bolsonaro expressou gratidão a Deus pela coragem que teve para enfrentar “quase tudo, quase o mundo todo” ao se posicionar: “Tem uma passagem militar que vale para todos nós: pior que uma decisão mal tomada é uma indecisão”, disse. “Os senhores, que têm pessoas que acreditam nos senhores, tomam decisões reservadamente. Eu tive que tomar decisões, mesmo sendo tolhido pelo Poder Judiciário”, explicou, apontando que agiu da forma que acreditava ser a correta, conforme informações do Estado de Minas.

“Se naquele momento, naquela época, até mesmo a chacota se fez presente, hoje graças a Deus estamos vendo que estávamos no caminho certo. Se Deus quiser voltaremos à normalidade ainda no corrente ano, porque o meu trabalho […] como chefe de Estado, é produzir o bem-estar e a felicidade para os seus”, disse o presidente, reiterando seu otimismo diante da aguda crise que se abateu sobre o país.

Peço sempre, mais que sabedoria, fé e coragem para tomar decisões. Não é fácil. […] Passamos por momentos difíceis. A verdade prevalece. A Justiça dos homens nem sempre é feita. Mas estamos aqui, para mais que tomar decisões, estar ao lado do povo, como estive no início da pandemia. […] Sempre me criticaram que eu devia ficar em casa. Não pode, prezado Manoel Ferreira, num momento difícil, que sua igreja pode atravessar um dia, ou que meu País pode atravessar um dia, eu me esconder num palácio. Eu sou igual a vocês: ou estou na frente e junto, ou não estou fazendo bom papel”, disse o presidente, de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo, criticando a postura de seus opositores.

O discurso de Bolsonaro, que durou aproximadamente oito minutos, teve ainda referência à importância da preservação da família, “a base da sociedade”: “Aqui, nesse recinto, se prega diuturnamente a importância da família para todos nós. A família quase deixou de existir, a poucos anos. O Brasil foi tomado pelo ‘politicamente correto’, onde tudo se podia, desde que não se criticasse aqueles que queriam destruir a família”, relembrou.

FONTE GOSPEL MAIS


sábado, 19 de setembro de 2020

Desenganada pelos médicos, idosa de 94 anos com Covid-19 fica curada após orações

 Histórias de superação do novo coronavírus desafiam a lógica médica e isto não é raro de se ver. O exemplo de Aurita da Silva Esmael é uma prova disso. Aos 94 anos de idade, ela contraiu a Covid-19 e chegou a ser desenganada pelos médicos, mas Deus interviu em sua vida.

Idosos fazem parte do grupo de risco do coronavírus devido a maior probabilidade de apresentarem alguma debilidade de saúde prévia. Apesar disso, muitos têm testemunhado a cura da doença após orações a Deus, como fez dona Aurita.

“Eu agradeço ao Senhor, o nosso Deus. Ele tem me abençoado, tem me guardado, tem me protegido debaixo de sua santa e gloriosa mão”, disse ela, agora recuperada da doença, após ter sido internada em 8 de agosto passado, em São Paulo.

Domingos da Costa Esmael, filho da idosa, disse ao Guiame que os médicos não acreditavam que a sua mãe fosse conseguir se recuperar. “Esta era a palavra do médico, mas nós recorremos ao Médico dos médicos, ao Senhor dos senhores”, disse ele.

A idade avançada de dona Aurita criou uma expectativa negativa em relação aos médicos. Apreensivos, eles provavelmente buscaram preparar a família psicologicamente para o pior, mas sem levar em consideração o poder da fé em Deus.

“Os médicos eles diziam que não tinham muito o que fazer, que ela poderia progredir para o óbito. E eu dizia: mas ela também pode sair daí com vida. Eles diziam que é muito difícil na idade dela”, lembrou Esmael.

A posição dos médicos, contudo, foi compreendida pela família de dona Aurita, mas isso apenas fortaleceu a necessidade de confiar em Deus, entregando a vida da matriarca ao Senhor da criação.

“E eu dizia: é difícil para o homem, mas tudo é possível àquele que crê. Os médicos ouviam essas palavras, mas não acreditavam. Eu não lhes tiro a razão pela idade avançada da minha mãe”, conclui Esmael. Confira:

ANÚNCIO
Assine o Canal
ANÚNCIO

Cristãos fazem reunião de oração na floresta para escapar da perseguição no Laos

 


A perseguição religiosa aos cristãos faz com que muitas igrejas precisem se adaptar às circunstâncias vivenciadas em suas regiões, a fim de que seus membros possam continuar exercendo a fé em Jesus Cristo com um mínimo de liberdade.

No Laos, país situado no Sudeste Asiático, os cristãos seguem a risca essa necessidade de adaptação, já que o cristianismo é visto na região como uma religião estrangeira associada ao colonialismo, gerando reações de intolerância contra os seguidores de Jesus.

Uma fotografia que viralizou nas redes sociais, por exemplo, mostra um grupo de cristãos reunidos no meio de uma floresta, em uma reunião de oração. Eles tiveram essa iniciativa para não chamar atenção dos populares onde moram.

“Dois meses atrás, esses crentes foram ameaçados [quando] outros membros de sua aldeia disseram que os expulsariam da comunidade por causa de sua fé”, informou a organização a Portas Abertas.

“Então eles não podem mais se reunir para orar dentro de sua aldeia. Mas, em vez de desistir, eles estão encontrando outras maneiras de se encontrar o mais secretamente possível”, destaca a entidade.

Uma das maiores dificuldades no contexto de perseguição aos cristãos no Laos se deve à participação da própria população. Quem não é cristão geralmente auxilia o governo local na “caça” aos seguidores de Cristo, os quais podem ser punidos por causa da fé.

“O governo usa toda a máquina administrativa até os anciãos das aldeias para evitar que as pessoas se tornem cristãs ou punam quem ousar”, disseram informantes locais. Apesar disso, pequenas igrejas domiciliares existem no Laos, resistindo à intolerância.

Entretanto, segundo a Voz dos Mártires dos Estados Unidos, a “grande maioria deles não tem um pastor líder treinado. No entanto, na maioria das aldeias, os edifícios da igreja não são permitidos. Se os líderes da aldeia perceberem que uma igreja doméstica está crescendo, eles tentarão impedir”.

Seguir a Cristo no Laos, portanto, possui um custo, mas os fiéis não se dão por abatidos. Pelo contrário, eles se tornam exemplos de perseverança para os demais, segundo a Portas Abertas.

“Os cristãos geralmente não recebem tratamento médico, educação e outros serviços sociais. Frequentemente ocorrem prisões de crentes, resultando em detenções que duram em média até uma semana”, diz a organização.

Fonte Gospel Mais

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Motorista sai ileso de grave acidente: “Deus me deu uma nova chance”


Motorista sai ileso de grave acidente: “Deus me deu uma nova chance” Carro ficou partido ao meio em colisão em Itatiba — Foto: Arquivo pessoalO veículo em que o motorista João Batista estava com sua família, foi atingido no acidente por um carro esportivo que vinha em alta velocidade em Itatiba (SP). Com o impacto, o carro de João foi partido ao meio.
“Desde o dia do acidente agradeço a Deus por ter me dado uma nova oportunidade de viver. Estou até hoje agradecendo por mim e pelos meus filhos.”
É dessa forma, com gratidão, que João Batista da Silva se lembra do último domingo (26), dia em que um acidente de trânsito deixou seu carro partido ao meio em Itatiba (SP).
O pedreiro de 48 anos dirigia com seus dois filhos, um adolescente de 13 anos e um bebê de dois. Ele contou ao G1 que levava as crianças para a casa da mãe e, ao passar para a faixa da esquerda na avenida Nossa Senhora das Graças, sentiu o impacto da batida.
O veículo em que a família estava foi atingido por um carro esportivo que vinha em alta velocidade na via. Com o impacto, o carro de João foi partido ao meio. Nas imagens, é possível ver que a parte de ficou completamente separada do resto do veículo.
“Por sorte, minhas crianças não foram atingidas, é um milagre. Tivemos apenas alguns machucados, mas estamos todos bem”, diz.
Segundo a Polícia Civil, o motorista do carro de luxo se apresentou na delegacia e está prestando apoio para as vítimas. O caso é apurado como lesão corporal culposa em direção de veículo.
Gostou de ler essa notícia? "Motorista sai ileso de grave acidente: “Deus me deu uma nova chance” " Então leia mais notícias no: Amigo De Cristo