sábado, 24 de outubro de 2020

Após ficar em coma na UTI, pastor lamenta politização da pandemia: “O covid é real”

 


Para muitos, não há dúvida de que a pandemia do novo coronavírus foi politizada em diversos aspectos, não apenas no tocante à sua existência, como aos tratamentos até então disponíveis para tratar a Covid-19. Um pastor que ficou entre a vida e a morte agora é uma testemunha disso.

Michael Napier, pastor da Igreja Batista Berea em Knoxville, Estados Unidos, faz parte do grupo de risco do coronavírus, pois além de possuir idade avançada, também tem problemas no fígado e é diabético. Após contrair a doença, ele não percebeu os primeiros sintomas, até ver que o seu estado já havia se agravado.

“O COVID é real. Ouvi dizer que está sendo politizado e é muito frustrante. A máscara se tornou uma questão política”, disse ele ao criticar a minimização da pandemia por algumas pessoas, lembrando que apesar da resistência de alguns, outros não possuem a mesma capacidade de combater o vírus.

“Eu não tenho um problema político ou um cachorro nesta luta, mas quando as pessoas dizem, ‘Eu não vou usar uma máscara porque eu não preciso de uma máscara, talvez você esteja certo, mas e a pessoa próxima a você?”, questiona o líder religioso.

O pastor Michael foi parar na UTI, entrou em coma e precisou ser intubado. Os médicos chegaram a desacreditar em sua capacidade de sobreviver e deram a ele a chance de se “despedir” da esposa através de uma ligação da qual os dois jamais vão se esquecer.

“Eles haviam discado o número para eu falar com minha esposa, disseram ‘fale com sua esposa e fale sobre os bons momentos que você teve.’ Achei que eles estavam tentando acalmar minha ansiedade. Em uma espécie de retrospecto, acho que foi minha chamada de despedida”, lembra o pastor.

Linda, a sua esposa, também percebeu que a intenção dos médicos foi promover a despedida do seu marido. Ela comentou sobre a ligação ao lembrar que falou com uma médica por telefone acerca do seu marido.

“Eu perguntei a ela que tipo de chance ele tinha, e ela disse ‘não parece bom’. E eu sabia que ia acabar viúva. Claro que eu sabia, eles já me disseram no pronto-socorro que havia uma taxa de mortalidade de 85% quando eles estão intubados”, disse ela.

O poder da oração

Apesar do prognóstico ruim durante a pandemia, o pastor Michael e a sua esposa Linda, juntamente com todos os seus irmãos em Cristo, iniciaram uma campanha de oração em favor da vida do líder religioso.

“Eu gostaria que vocês que têm um relacionamento com nosso Salvador, por favor, elevem meu marido, minha alma gêmea ao trono de Deus”, disse a esposa em comunicado para a Igreja, segundo a ABC.

De fato, a campanha de oração a Deus pela vida do pastor fez a diferença, pois ele conseguiu se recuperar e depois ter alta do hospital. Hoje, o testemunho de Michael serve de alerta para os que ignoram os riscos do coronavírus, especialmente para quem faz parte do grupo de risco.

“Perdi 30 quilos com a coisa, perdi força nas pernas, nos braços. As pessoas pensam que COVID é uma coisa política, ou tentam politizar isso. Deixe-me dizer uma coisa, não é. Pessoas, pessoas estão morrendo. É um milagre, eu, com a idade que tenho, as condições pré-existentes que tenho, que superei isso e isso é nada menos que o próprio Deus”, disse ele.

Fonte gospel mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário