terça-feira, 17 de novembro de 2020

Vírus raro causa três mortes na Bolívia e tem transmissão entre humanos confirmada


 O ano de 2020 foi – e continua sendo – marcado pela pandemia do novo coronavírus que, até o momento, já vitimou mais de 1,3 milhões de pessoas ao redor do mundo, de acordo com dados do Worldometers.

Agora, estudos de cientistas do Centro de Controle de Doenças – ou CDC – e do Centro Nacional de Doenças Tropicais da Bolívia revelam a existência de um “novo” vírus raro, que foi responsável pela morte de três bolivianos em 2019.

Conhecido como Vírus de Chapare, o primeiro contágio foi registrado na província de mesmo nome, na Bolívia, no ano de 2004 e sua primeira transmissão pode ter sido feita por ratos. Após alguns anos, já em 2019, foram confirmados os primeiros casos de transmissão do Vírus de Chapare entre humanos em La Paz, capital boliviana 

O contágio aconteceu após dois pacientes transmitirem o vírus para três médicos que os tratavam. Das cinco pessoas, três morreram: um dos primeiros infectados e dois dos profissionais da medicina.

O Vírus de Chapare, de acordo com os pesquisadores, tem sintomas parecidos com a dengue hemorrágica e com o Ebola: os pacientes infectados em 2019 tiveram febre, dores abdominais, vômitos, sangramento das gengivas, erupções cutâneas e dor atrás dos olhos.

Os pesquisadores acreditam que a transmissão entre humanas aconteceu por fluídos corporais e, ao contrário do que acontece com o novo coronavírus, não aconteceu pelo ar. Com isso, apesar de ainda ser bastante letal, o risco de novas transmissões pode ser controlado de forma mais fácil do que o causador da COVID-19.

Até o momento, porém, não há tratamento contra o Vírus de Chapare e os pacientes de 2019 receberam medicamentos apenas para aliviar os sintomas apresentados.

https://www.tudocelular.com/seguranca/noticias/n166237/virus-chapare-tres-mortes-bolivia.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário