Cristãos secretos são executados na Coreia do Norte É provável que as famílias deles também tenham sido levadas para centros de detenção e campos de trabalhos forçados

Recentemente, fontes seguras compartilharam que houve uma varredura massiva contra cristãos secretos em uma área da Coreia do Norte. O nome da região não pode ser divulgado por motivos de segurança. Dezenas de cristãos secretos estavam reunidos e, quando iam começar o culto, guardas de segurança invadiram o local e todos foram presos e executados.

O canal de informação acredita que, junto com os cristãos capturados, as famílias deles também foram levadas e enviadas para a prisão política, somando mais de 100 pessoas. Nessas prisões, os detentos serão tratados como animais, torturados e forçados a trabalhos e condições subhumanas, sem comida suficiente ou liberdade para fazer qualquer coisa.

Após uma recente promulgação da “Lei do Pensamento Anti-Reacionário”, a punição contra quaisquer pensamentos ou produtos externos se intensificou, e isso tornou ainda mais difícil para os cristãos e líderes da igreja clandestina manterem seus cultos e reuniões de oração.

Carta de um cristão norte-coreano

No entanto, apesar dessas circunstâncias mortais em que qualquer vazamento de informações resultaria em vários cristãos mortos e suas famílias confinadas, os cristãos da Coreia do Norte nunca pararam de adorar ou prestar culto a Deus. E perseveram em adorar secretamente, se encontrando às escondidas em reuniões subterrâneas e igrejas secretas. É isso que pode ser visto no trecho de uma das cartas dos líderes da igreja secreta no país:

Diz a Escritura em João 14.27: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo”. Como é gratificante saber que Deus já sabia que quando andássemos na sombra da morte e tribulação, quando caíssemos no medo, ansiedade, preocupação e desespero, ele derramaria sua paz e alegria para que vivamos e mantenhamos nossa vida espiritual com a paz e a alegria do Reino de Deus dentro de nosso corpo e coração.

Na Coreia do Norte, país número 2 na Lista Mundial da Perseguição 2022, que classifica os 50 países em que os cristãos são mais perseguidos, adorar um deus é estritamente proibido, pois todos são obrigados a prestar culto pessoal à família Kim. O cristianismo é a ameaça número um ao governo. Desde o início do país, quando Kim Il-Sung estava no poder, o Partido Comunista intensificou a opressão contra os cristãos secretos. A perseguição nunca parou durante gerações de líderes supremos, nem mesmo durante a “Marcha Árdua”, nos anos 1990, em que milhões de norte-coreanos morreram de fome devido ao fracasso da economia.